Home Busca Avançada Normas de Publicação Assinaturas Fale Conosco
Contact Us
 
 

 

CopyRight
Moreira Jr Editora
Proibida a reprodução sem autorização expressa


 
sêlo de qualidade
Like page on Facebook



Destaque do Mês
Primeiros socorros básicos
Adaptado e revisado por:
Fabio Ford Feris Racy
Associação Brasileira de Acidente e Medicina de Tráfego - Abramet.
Moise Edmond Seid
Associação Brasileira de Acidente e Medicina de Tráfego - Abramet.
Escrito por solicitação e sob a supervisão da Junta de Koninklijke Nationale Bond voor Reddingwezen en Eerste Hulp bij Ongelukken
("Real Associação Nacional para Salvamento de \/idas e Primeiros Socorros"), 'Het Oranje Kruis'.©1991 Spruyt, Van Mantgem & De Does BV / Leiden.
Artigo publicado na Revista da Abramet - N° 25.





ilustrando a preocupação demonstrada por especialistas quanto a dificuldade em estabelecer os melhores parâmetros para aplicação de cursos de primeiros socorros e também com finalidade de divulgar ensinamentos de muito bom senso de um país que demonstra grande preocupação com acidentes e segurança de tráfego, reproduzimos, a seguir, as orientações em voga na holanda, preconizadas pela
"real associação nacional de primeiros socorros e salvamento de vidas".

ilustrando a preocupação demonstrada por especialistas quanto a dificuldade em estabelecer os melhores parâmetros para aplicação de cursos de primeiros socorros e também com finalidade de divulgar ensinamentos de muito bom senso de um país que demonstra grande preocupação com acidentes e segurança de tráfego, reproduzimos, a seguir, as orientações em voga na holanda, preconizadas pela
"real associação nacional de primeiros socorros e salvamento de vidas".

ilustrando a preocupação demonstrada por especialistas quanto a dificuldade em estabelecer os melhores parâmetros para aplicação de cursos de primeiros socorros e também com finalidade de divulgar ensinamentos de muito bom senso de um país que demonstra grande preocupação com acidentes e segurança de tráfego, reproduzimos, a seguir, as orientações em voga na holanda, preconizadas pela
"real associação nacional de primeiros socorros e salvamento de vidas".

introdução

acidentes são ocorrência diária nas comunidades. para as vítimas de acidentes entretanto, na maioria das vezes, é questão de vida ou morte os primeiros socorros adequados serem prestados logo depois do ocorrido.

aqueles que têm um certificado de primeiros socorros válido são capazes de administrar os primeiros socorros de maneira adequada. infelizmente, o número de pessoas registradas, aptas a prestarem primeiros socorros, na holanda, é limitado demais para garantir a presença de uma pessoa treinada para prestar primeiros socorros quando ocorre um acidente. a fim de resolver este problema, 'het oranje kruis' formulou uma série de orientações relacionadas às medidas de primeiros socorros que, em uma emergência, podem ser administradas por pessoas que não têm um certificado de primeiros socorros. elas são as chamadas medidas básicas de primeiros socorros. são ações que podem ser tão importantes para a vítima de um acidente que não podem ser deixadas de lado.

saber essas medidas básicas, entretanto, não significa que você seja uma pessoa capacitada para prestar primeiros socorros. para chegar a isso, você deve participar de um curso completo de primeiros socorros. mas você poderá, com base nessas medidas básicas, realizar um determinado número de ações, embora, provavelmente, não tão bem quanto uma pessoa qualificada para prestar primeiros socorros.

a junta da 'het oranje kruis' espera que o conhecimento dos primeiros socorros básicos leve muitas pessoas a se interessarem em tornar-se pessoas totalmente treinadas e capacitadas para prestar primeiros socorros.

assistência a vítimas de acidentes

é importante que a assistência seja dada o mais rápido possível. ao fazer isso, deve-se trabalhar de acordo com um plano fixo. fique calmo e tente entender a situação com a rapidez cabível. embora cada acidente seja diferente, os cinco pontos básicos a seguir devem sempre fazer parte de seu trabalho.

evite um possível perigo maior

certifique-se de que não poderão ocorrer mais acidentes. primeiramente, tome medidas para sua própria segurança e então cuide dos outros, ou seja, da(s) vítima(s) e dos curiosos.
tente descobrir exatamente o que aconteceu e o que há de errado com a(s) vítima(s).

pergunte à vítima ou aos curiosos o que aconteceu. descubra exatamente o que há de errado com a vítima. somente quando você souber o que aconteceu, a assistência correta poderá ser dada.

acalme a vítima

se a vítima estiver consciente, tranquilize-a, constantemente. fique com a vítima e conte a ela o que está acontecendo.

tente procurar ajuda profissional

assegure-se de que alguém procure por ajuda profissional o quanto antes: um médico, uma ambulância ou, se necessário, a polícia e/ou a brigada de incêndio. passe adiante o máximo de informações possível, incluindo: onde aconteceu o acidente, o que aconteceu, o número de vítimas e o que há de errado com a(s) vítima(s).

se o auxílio profissional demorar mais tempo para chegar do que o que se poderia esperar, peça para chamarem-no novamente. melhor ligar duas vezes do que nenhuma. os telefones de emergência que ficam ao longo das estradas devem ser usados, se for preciso.

ajude a(s) vítima(s) no lugar em que elas estão, sentadas ou deitadas

é importante dar o máximo de assistência possível no lugar onde se encontra a vítima. somente mova o paciente se for necessário por razões de segurança. se a vítima tiver que ser retirada de uma situação perigosa, isso pode ser feito com o dispositivo de emergência rautek. nunca transporte a vítima para fora do local do acidente.

a seguir, demonstramos como remover um paciente com o dispositivo rautek (figura 1).

dispositivo de emergência rautek


ajoelhe atrás da cabeça da vítima;
coloque suas mãos sob os ombros da vítima,nas axilas;
eleve parcialmente a parte superior do corpo da vítima e coloque seu joelho e a parte superior de sua perna sob as costas da vítima, para que ela fique recostada contra você;
passe seus braços sob as axilas da vítima;
coloque o antebraço da vítima de forma que ele fique posicionado horizontalmente sobre seu peito;
segure o antebraço com ambas as mãos;
deite a vítima cuidadosamente e aplique os primeiros socorros necessários.
medidas de primeiros socorros apresentadas para as seguintes situações:

a. cuidar da respiração;
b. estancar qualquer sangramento óbvio;
c. cobrir ferimentos;
d. resfriar queimaduras;
e. manter as fraturas ósseas imobilizadas;
f. minimizar os efeitos dos venenos.

cuidando da respiração

1. geral

alguém que não respire morrerá dentro de pouco tempo. portanto, é essencial que a vítima esteja respirando adequadamente e continue assim.

a respiração pode estar em perigo se a vítima estiver inconsciente (inconsciente significa que a vítima não reage a perguntas ou à voz alta). uma vítima que esteja inconsciente pode ou não respirar. para descobrir se a vítima está respirando, coloque a palma da mão com os dedos abertos (em direção à cabeça da vítima), no ponto de transição entre o estômago e o peito. se a vítima estiver respirando, você poderá perceber e sentir que o peito e o estômago se movem para cima e para baixo. uma vítima que (ainda) esteja respirando pode ou não ter uma via respiratória livre. no caso de uma respiração difícil, você ouvirá barulhos de engasgo ou gorgolão, sons que não serão ouvidos se a respiração estiver normal.

2. assistência a uma vítima inconsciente que (ainda) está respirando normalmente

nesse caso, a assistência deve ser a de soltar qualquer peça de roupa que esteja em volta do pescoço e manter as vias respiratórias livres, virando a vítima de lado.

uma vítima é colocada na posição lateral da seguinte maneira:

ajoelhe ao lado do rosto da vítima;
segure o braço mais próximo da vítima pelo seu cotovelo e pulso e estique o braço de forma que este fique perpendicular ao corpo. não force essa posição!
segure o outro braço da vítima pelo cotovelo e pelo pulso e passe o seu antebraço por cima do peito da vítima;
dobre a perna da vítima que esteja mais afastada de você e coloque o pé dessa perna atrás do joelho da outra perna;
coloque uma de suas mãos sobre a perna dobrada da vítima e apóie a cabeça da vítima em sua outra mão;
puxe a vítima gentilmente em sua direção, puxando sua perna flexionada;
subsequentemente, vire a cabeça da vítima para trás com o nariz e a boca virados para o chão;
se possível, coloque algo sob a cabeça da vítima, por exemplo, um casaco dobrado (figura 2).


3. assistência a uma vítima inconsciente que esteja respirando com dificuldade

nessa situação, você deve virar a cabeça da vítima para um lado. abra a sua boca, retire qualquer fragmento da boca da vítima com seu dedo indicador ou médio. seus dedos, se possível, devem estar cobertos por gaze esterilizada ou por um lenço limpo. coloque a vítima na posição de recuperação.

4. assistência a uma vítima inconsciente que não está respirando ou respira insuficientemente

se a vítima estiver com a face com uma coloração azul-acinzentado e não estiver respirando, ou estiver respirando muito pouco apenas (seu peito mal se mexe), então deve ser ventilada imediatamente.

cada segundo conta!

há dois métodos de ventilação artificial: os métodos de respiração boca a boca e de boca a nariz.

método boca a boca
posicione a vítima de costas;
ajoelhe sobre os dois joelhos e próximo à sua cabeça;
coloque uma das mãos sob o pescoço e a outra na testa da vítima;
estenda para trás a cabeça da vítima o máximo possível. isso fará com que a boca da vítima se abra;
use o polegar e o dedo médio da mão que ficou sobre a testa da vítima para fechar seu nariz. isso evitará que o ar escape pelo nariz (figura 3).
inspire profundamente e coloque sua boca aberta sobre a boca aberta da vítima, certifique- se de que sua boca cubra completamente a boca da vítima;
sopre o ar dentro da boca da vítima. verifique se o peito está subindo. isso mostra se o ar inspirado está indo pare os pulmões da vítima (figura 4);
quando o peito estiver levantado, tire sua boca da boca da vítima e solte o nariz da vítima;
observe se o peito da vítima desce. se assim o fizer, significa que a vítima está respirando (figura 5);
novamente, respire fundo. certifique-se de não respirar quando a vítima está expirando;
novamente, coloque sua boca aberta sobre a boca aberta da vítima;
sopre o ar na boca da vítima;
verifique se o peito está subindo.





o número de insuflações é de cerca de 12 por minuto (o que significa contar até três e soprar o ar na boca e contar até três para deixar a vítima expirar). se for impossível soprar o ar para dentro da vítima dessa maneira, então coloque a cabeça da vítima ainda mais reclinada e tente novamente. se for impossível então aplique o método boca a nariz.

método boca a nariz
coloque sua mão, que está sob a cabeça da vítima, sobre o osso de seu queixo. sua outra mão deve permanecer na testa da vítima para manter a cabeça para trás (figura 6);
empurre o queixo para cima. isso fechará os lábios da vítima;
inale ar fresco;
coloque sua boca aberta envolvendo o nariz da vítima e sopre (figura 7);
observe se o peito da vítima está subindo;
quando o peito estiver subido, tire sua boca do nariz da vítima e depois abra a boca da vítima;
observe se o peito da vítima abaixa;
inale ar fresco e continue a ventilar.



quando usar a respiração boca a nariz, deve-se usar o mesmo tempo que se usa no método de respiração boca a boca.

se o método boca a nariz não for bem-sucedido também, abra a boca da vítima e sinta se há algo obstruindo a livre entrada de ar. se houver, remova o que estiver obstruindo a entrada de ar e sopre ar novamente para dentro da vítima.

no caso de afogamento, a boca da vítima deve sempre ser limpa antes de começar a ventilação.

no caso de crianças, menos ar deve ser soprado para dentro dos seus pulmões. sopre com menos força: somente o suficiente para fazer seu peito subir, mas sopre com periodicidade um pouco menor por minuto. com uma criança pequena, você deve pôr sua boca sobre o nariz e a boca da criança, e soprar o ar com pequenos "puffs".

continue soprando o ar até a vítima começar a respirar por si só ou até profissionais assumirem o comando ou lhe aconselharem a parar.

estancando o sangramento externo

o sangramento externo sempre parece pior do que realmente é. hemorragias realmente sérias, que ameaçam a vida imediatamente, ocorrem com menos frequência, no caso de acidentes, do que se pensa.

no caso de sangramento externo, observe os seguintes pontos:

o sangramento pode ser interrompido ou diminuído fazendo-se pressão sobre ele;
quando ocorrem ferimentos com menos sangramento pode-se esperar a ajuda de um profissional;
o ferimento muito sério, em que grandes vasos sanguíneos são danificados e muito sangue pode ser perdido em pouco espaço de tempo, pode ser fatal.
no último caso, requer-se ação imediata. coloque um curativo de emergência aberto sobre a ferida e aplique pressão direta na ferida com o polegar ou, se necessário, a mão inteira. se você não tiver nenhum curativo de emergência, faça uma bola com um pano limpo ou lenço e a pressione contra o ferimento.

se você não tiver nada em mãos, então pressione sua mão diretamente sobre o ferimento. mantenha a parte machucada do corpo levantada até que alguém treinado para prestar primeiros socorros ou algum profissional possa assumir.

uma vítima com um sangramento sério não deve ser removida.

cobrindo ferimentos

preferencialmente, deixe a vítima que tem um ferimento aberto deitada em uma superfície plana ou a deixe pelo menos sentada. cubra o ferimento com um curativo limpo.

um curativo de emergência é o ideal. é adaptável a quase todos os tipos de ferimento e de fácil colocação. deve-se ter alguns curativos de emergência no kit de primeiros socorros. se você não tiver um kit de emergência, pelo menos certifique-se de ter sempre alguns curativos de emergência com você. eles vêm em tamanhos diferentes, os quais são indicados na embalagem. geralmente, você pode usar curativos de emergência n° 1 (12 x 12 cm ou 12 x 10) (dados referentes à holanda - n.e.).
também é útil levar com você um ou dois curativos de emergência n° 2 (18 x 18 cm).

um curativo de emergência deve ser colocado como segue (figura 8):
remova a embalagem e certifique-se de que o curativo permanece dobrado;
segure o curativo com ambas as mãos, deixando as ataduras amarradas viradas para cima;
coloque o curativo cerca de 30 cm acima do ferimento e segure uma atadura em cada mão;
afaste uma mão da outra; isso irá abrir o curativo;
coloque o curativo diretamente sobre o ferimento. o curativo não deve ser removido;
pegue uma das pontas da atadura amarrada e a enrole até ela terminar, cobrindo tanto a pele quanto o curativo;
faça o mesmo com a outra atadura no outro lado do curativo;
subsequentemente, cubra o ferimento com uma atadura em direção ao centro, com uma ponta sobrepondo-se à outra, primeiro uma atadura e depois a outra;
amarre ambas as extremidades da atadura ao lado do ferimento. o nó não deve ficar sobre o ferimento.



resfriando as queimaduras

se alguém estiver pegando fogo, as chamas devem ser extintas. faça com que a vítima deite imediatamente, a fim de que as chamas não possam chegar no rosto. se houver necessidade de ser usado um extintor de incêndio, nunca use-o no rosto da vítima.

quando o fogo estiver extinguido, as partes queimadas do corpo devem ser resfriadas, preferivelmente com água potável e fria (da torneira). esse resfriamento deve continuar por pelo menos cinco a dez minutos. se a água da torneira não estiver disponível imediatamente, qualquer outro tipo de água, mesmo a água poluída, é melhor do que não usar água. após o resfriamento, as queimaduras devem ser cobertas sem serem apertadas.

geralmente se recomenda que compressas metálicas sejam utilizadas para cobrir as queimaduras. se elas não estiverem disponíveis, o papel alumínio pode ser usado.

uma vítima com muitas queimaduras pode ser coberta com um lençol limpo ou um cobertor isolante.

você nunca deve:

remover roupas. isso poderia danificar a pele;
furar as bolhas;
usar unguento, vaselina, leite etc. na queimadura. eles podem causar infecção e tornar o tratamento difícil.
em geral, as vítimas com grandes queimaduras devem ser deitadas no plano. somente quando se pode perceber que as vias respiratorias foram danificadas (por exemplo, no caso de queimaduras faciais e queimaduras da parte superior do corpo), a vítima deve ser colocada na posição semi-reclinada para evitar dificuldades de respiração.

imobilizando fraturas ósseas

os sintomas mais importantes de uma fratura são: dor no local da fratura e a incapacidade de usar a parte machucada do corpo.
vítimas com fraturas não devem ser removidas.
portanto, sempre que possível, deixe a vítima na posição em que foi encontrada. a vítima somente deve ser removida se estiver em alguma posição que represente perigo.

se a vítima apresentar sinais de problemas com a respiração, então medidas de auxílio nessa situação devem ser tomadas antes de qualquer coisa. se necessário, a vítima poderá ser colocada na posição de recuperação.

se você vir sangue no ferimento ou em volta dele, então um curativo de emergência, aberto, deve ser colocado sobre o ferimento sem apertá-lo. nesse caso, o curativo não deve ser amarrado. não mexa a parte ferida do corpo.

minimizando os efeitos dos venenos

qualquer pessoa afetada por uma substância venenosa deve sempre ser levada a um médico ou hospital. se possível, você deve enviar, também, o recipiente, o rótulo e/ou o que sobrou da substância venenosa.

venenos ingeridos

a) substâncias cáusticas

se alguém tiver ingerido uma substância cáustica (por exemplo, sabão para a máquina de lavar louça, desinfetante, amônia), deve beber imediatamente um ou dois copos de água, para diluir o veneno.

b) substâncias não cáusticas

se alguém tiver ingerido uma substância não cáustica (por exemplo, um produto derivado do petróleo, superdosagem de medicamentos, uma planta venenosa), não tome medidas especiais. o paciente deve ser levado ao hospital.

veneno na pele

as substâncias cáusticas (ácido hidroclorídrico, lixívia etc.) sobre a pele geralmente causarão queimaduras. outros venenos podem penetrar na pele e, assim, entrar no corpo (por exemplo, inseticidas). se uma vítima tiver algum veneno em sua pele essa área deve ser imediatamente limpa abundantemente com água fria. as roupas contaminadas devem ser retiradas. mas somente faça isso se você estiver usando luvas de proteção.
cubra as queimaduras.

inalação de veneno

se uma vítima tiver inalado veneno, deve-se dar ar fresco a ela o mais rápido possível. resgatar essa vítima de um lugar com gases cáusticos (tais como o cloro) ou outros gases venenosos (tais como o monóxido de carbono) deve sempre ser deixado para profissionais (com máscaras de ar). se a vítima ainda estiver consciente, deixe-a sentar de maneira que fique semi-reclinada.

se ela estiver inconsciente, mas ainda respirando, a via respiratória deve ser mantida aberta para colocar a vítima na posicão lateral.

continue verificando a respiração da vítima. se a vítima não respirar, comece a ventilação.

os sintomas de envenenamento por inalação de gases incluem o seguinte: rápido inicio de rigidez do peito (causado pela formação de muco nos pulmões) e/ou uma cor azulada na vítima devido à falta de oxigênio.

conclusão

quando é dada assistência a vítimas de acidentes, o que se segue é importante:

a. sempre tenha em mente os cinco pontos básicos citados no item assistência às vítimas de acidente;
b. sempre se certifique de que a vítima pode respirar adequadamente, especialmente no caso de ela estar inconsciente;
c. ressuscite a vítima que não está respirando ou está respirando mal;
d. estanque sangramentos externos;
e. cubra os ferimentos de maneira asséptica;
f. resfrie as queimaduras imediatamente com água potável e fria (da torneira);
g. não remova as vítimas com fraturas;
h. certifique-se de que se alguém foi afetado por uma substância venenosa seja transportado para o hospital tão logo medidas tenham sido tomadas para limitar o efeito do veneno.

material para atadura

é importante ter disponível o material adequado para fazer a atadura. se você não tiver um kit ou uma caixa de primeiros socorros, certifique-se de que tenha à mão alguns curativos de emergência.

caixas de primeiros socorros para uso particular

para essas caixas (ainda) não há orientações.

para uma caixa de primeiros socorros ser usada particularmente, ela deve conter os seguintes itens:

2 curativos de emergência número 1;
1 curativo de emergência número 2;
2 curativos de emergência para ferimentos;
1 pacote de algodão em rama branco de 10 gramas;
6 quadrados de gaze esterilizada de 1/16 m2;
3 ataduras hidrófilas de 4 m de comprimento e 6 cm de largura;
2 ataduras triangulares;
1 rolo de emplastro, com 5 m de comprimento e 2,5 cm de largura;
vários emplastros para ferimentos;
1 tesoura para atadura;
6 alfinetes de segurança.
a esse conteúdo mínimo deve adicionar-se:

2 rolos de algodão natural ou sintético em rama, 2 m de comprimento e 10 cm de largura;
2 ataduras de cambraia, com 4 m de comprimento e 8 cm de largura;
1 vidro de iodo;
1 par de pinças;
lanterna.
como você se torna uma pessoa apta a prestar primeiros socorros

ler este artigo não quer dizer que você esteja apto a ser uma pessoa treinada para prestar os primeiros socorros.
você apenas leu algumas diretrizes que são extremamente importantes e que, se aplicadas corretamente, podem, em alguns casos, salvar vidas.

para maiores detalhes sobre as informações aqui prestadas você poderá contatar:

koninklijke nationale bond voor reddingwezen en eerste hulp bij ongelukken "het oranje kruis",statenlaan 81, 2582 ge's - gravenhage - tel.: 070-3549111.