Home Busca Avançada Normas de Publicação Assinaturas Fale Conosco
Contact Us
 
 

 

CopyRight
Moreira Jr Editora
Proibida a reprodução sem autorização expressa


 
sêlo de qualidade
Like page on Facebook



Revisão
Quetiapina XR ou IR. Eis a questão!
Odeilton Tadeu Soares
Mestre em Psiquiatria pela FMUSP Coordenador da Unidade de Ansiedade e Depressão do IPq-HCFMUSP Diretor Clínico do Hospital Psiquiátrico CVV-FJ Coordenador do Programa de Residência em Psiquiatria do CVV-FJ
RBM Jan 16 V 73 N Especial H1
págs.: 22-28

INTRODUÇÃO

A quetiapina pode ser encontrada em 2 apresentações diferentes: XR de liberação controlada (extended-release) e IR de liberação imediata (immediate-release). Ambas tem sido muito úteis na prática psiquiátrica e o objetivo do nosso artigo é esclarecer quais as vantagens do uso da apresentação XR e ainda se podem ser utilizadas em conjunto.

No tratamento dos transtornos psiquiátricos, procuramos um balanço entre eficácia e tolerabilidade. Os antipsicóticos atípicos são considerados opções de primeira linha para a esquizofrenia, para a mania aguda e para o tratamento de manutenção do transtorno bipolar. A quetiapina também é recomendada para o tratamento da depressão bipolar. A primeira apresentação de quetiapina lançada no mercado foi a de liberação imediata (quetiapina IR). Estudos comprovaram a sua eficácia no tratamento da esquizofrenia, com melhora de sintomas positivos, negativos, cognitivos e afetivos. Posteriormente, foi aprovada como monoterapia ou associada a lítio ou divalproato no tratamento da mania aguda do transtorno bipolar e também na depressão bipolar e no tratamento de manutenção do transtorno bipolar.

As duas apresentações da quetiapina (XR e IR) diferenciam-se principalmente em função de suas propriedades farmacocinéticas.



Os principais fatores que influenciam na escolha da apresentação da quetiapina (concentração total no plasma, adesão ao tratamento, titulação, sedação, início de ação e prevenção de recaídas), são analisados a seguir.

CONCENTRAÇÃO TOTAL NO PLASMA

Figueroa and cols, 2009, analisando as propriedades farmacocinéticas das formulações XR e IR, observou que não houve diferenças significativas (95,3 vs. 96, 5 ng/ ml - XR vs. IR) na concentração atingida 24hs após a administração de ambas as formulações. A quantidade de droga no organismo é a mesma para as duas apresentações, no entanto XR permite que haja quetiapina no plasma por um tempo mais prolongado ao longo de 24 horas, mesmo com a mesma meia vida (6-7hs) para ambas as apresentações. Essa característica permite que a quetiapina XR possa ser utilizada em uma única dose ao dia.

ADESÂO AO TRATAMENTO

Observe agora o gráfico abaixo, que demonstra o resultado de estudo realizado por Remington e cols, 2007.

Um fator crucial no tratamento da esquizofrenia ou do transtorno bipolar é a adesão ao tratamento. São doenças consideradas crônicas, com tratamentos medicamentosos por longo prazo, que tem seu prognóstico piorado em função das múltiplas recidivas, que só podem ser evitadas com uma boa adesão ao tratamento. A quetiapina XR, que pode ser utilizada uma vez ao dia, favorece a adesão ao tratamento. Avaliando pacientes hospitalares, Ericsson e cols (2012) concluiram que a interrupção do tratamento por não aderência é mais comum com IR do que com XR. A tolerabilidade também ajuda na aderência ao tratamento e no estudo de Datto (2012) a incidência de efeitos colaterais foi maior na quetiapina IR (21,7%) em relação ao XR (9,8%).



TITULAÇÂO (ESCALADA RÁPIDA DE DOSES)

Um outro fator que difere as duas apresentações de quetiapina é a titulação do medicamento. Vários estudos foram realizados para comparar a eficácia com doses baixas (>250mg/d) ou doses altas (>400mg/d) de quetiapina e a maioria ressaltou a necessidade de prescrições em doses superiores a 400 mg/d Small (1997); King (1998).

No gráfico abaixo vemos a possibilidade de atingir a dose de 600mg/d em apenas 2 dias, com a apresentação XR. A mesma dosagem só pode ser atingida após 5 dias com a quetiapina IR. Para comprovar a eficácia da escalada rápida de doses com a quetiapina IR, Kahn e cols. (2007), realizaram estudo, com a quetiapina XR, comparada ao placebo, relatando que a mesma utilizada uma vez ao dia, é eficaz na esquizofrenia, com a dose terapêutica sendo alcançada no segundo dia. Observaram também que a rápida escalada de doses foi bem tolerada.

A quetiapina XR também foi estudada no transtorno bipolar por Cutler e cols.(2011), que demonstrou que a quetiapina XR (400-800mg/d) em monoterapia, é bem tolerada, eficaz (a partir do 4º dia), em pacientes com episódios maníacos ou mistos do TBI.





SEDAÇÃO

Com objetivo de avaliar e comparar a duração e intensidade da sedação com uso de quetiapina XRO e quetiapina IR, Datto e cols (2009), realizaram estudo onde 63 indivíduos saudáveis entre 18 e 50 anos foram incluídos. Utilizou-se a titulação de depressão bipolar chegando a 300 mg no quarto dia de tratamento, com as doses sendo administradas pela manhã. Os níveis de sedação foram determinados usando a VAS (Visual Analog Scale) na primeira hora e em um período de 14 horas após administração, esses parâmetros foram avaliados diariamente por 5 dias.

Os resultados podem ser visualizados nos gráfico 2, 3 e 4:

Na VAS, zero indica nenhuma sedação e 100, sedação intensa. Os resultados deste estudo sugerem que há diferenças entre o perfil de sedação de quetiapina XR e quetiapina IR . A quetiapina XR está associada a uma sedação mais tardia e em menor intensidade no início do tratamento, quando comparada a quetiapina IR . A intensidade de sedação é similar para as duas apresentações, após 8 horas. Quetiapina XR não parece estar associada a um aumento de sedação no dia seguinte, comparada a quetiapina IR. A administração de quetiapina XR à noite, algumas horas antes de dormir, pode ser benéfica para ajudar a administrar a potencial sedação do dia seguinte .A sedação com quetiapina IR reduz-se de forma importante em até 5 dias, mas é significativamente maior na primeira hora após a administração. Conclui-se com esse estudo que a quetiapina IR pode ser melhor indutora de sono do que a XR, mas também está implicada com maior sonolência diurna, nos primeiros dias do tratamento. Por esse motivo, a associação entre as duas apresentações também é muito utilizada, conforme demonstrado no estudo de Emborg e cols.( 2012) realizado com pacientes ambulatoriais, onde a formulação XR, também foi mais utilizada em doses maiores, considerada antipsicóticas (acima de 400mg/d).Já a apresentação IR foi mais utilizada para potencialização no tratamento da depressão. O uso concomitante das duas apresentações foi observado em 23% dos pacientes. Riesenberg e cols.(2012), observaram que durante o período de escalada inicial da dose nas 3 primeiras horas, houve significativamente menor sedação nos pacientes recebendo a apresentação XR. Não houve diferenças significativas entre as apresentações entre 4 e 14 hs após a tomada. Observaram ainda que, como a quetiapina IR tem meia vida curta, com necessidade de distribuir a dose em 2 ou 3 vezes ao dia, a sedação pós tomada levou à sonolência diurna.

Riedel e cols.(2015), compararam as duas apresentações em relação a sedação, ao desempenho cognitivo e a satisfação do paciente, concluindo que a quetiapina XR está associada com menor sedação diurna, comparada ao IR. E induz mais satisfação ao paciente. Devemos deixar claro que podemos utilizar a quetiapina XR, também como indutor de sono. Comparando o pico de ação das 2 formulações, 2hs para IR e 5 hs para XR, devemos tomar o cuidado de administrar a quetiapina XR 3hs antes do preconizado para a quetiapina IR e o paciente terá o sono induzido provavelmente no mesmo horário para as duas formulações.



RÁPIDO INÍCIO DE AÇÃO

Um outro aspecto interessante que diferencia a quetiapina IR da XR, é o que diz respeito ao rápido início de ação da apresentação XR. Um dos fatores implicados seria a possibilidade de atingir o nível terapêutico já no segundo dia de tratamento. Rihmer (2009) e Pompili (2012), levantaram a hipótese de que o rápido início de ação da quetiapina XR, associado com a melhora do sono, teriam um papel crucial na redução do risco de suicídio.

PREVENÇÃO DE RECAÍDAS

O tempo para recaída, que é um fator importante para que um medicamento seja aprovado na fase de manutenção da esquizofrenia, foi objeto do estudo de Peuskens and cols.(2007). Poucos pacientes tratados com quetiapina XR recaíram, quando comparados ao placebo (10,7% vs. 41,4%, respectivamente). O risco estimado de recaídas foi significativamente menor (14,3%), comparado com placebo (68,2%; p=0,0001). Nesse estudo, a incidência de efeitos colaterais adversos, foi similar entre a quetiapina XR (18,1%) e o grupo placebo (21%), mostrando que a quetiapina XR é uma opção efetiva para prevenir recaídas, com uma boa tolerabilidade para uso de longo prazo.

Conclusão

A quetiapina XR mostrou ser uma ótima opção para o tratamento da esquizofrenia, da mania aguda e de episódios depressivos e mistos do transtorno bipolar, sendo bem tolerada, devendo ser titulada em escalada rápida, chegando a 600mg/d já no segundo dia de tratamento, com baixo nível de sedação, ocasionando menor sonolência diurna em relação a quetiapina IR, além de menores efeitos adversos, com rápido início de ação e eficácia em prevenir recaídas, o que proporciona maior adesão ao tratamento".




Bibliografia
1. Cutler AJ1, Datto C, Nordenhem A, Minkwitz M, Acevedo L, Darko
D. Extended-release quetiapine as monotherapy for the
treatment of adults with acute mania: a randomized, double-
-blind, 3-week trial. Clin Ther. 2011 Nov;33(11):1643-58.
2. Datto C1, Berggren L, Patel JB, Eriksson H. Self-reported
sedation profile of immediate-release quetiapine fumarate
compared with extended-release quetiapine fumarate during
dose initiation: a randomized, double-blind, crossover study
in healthy adult subjects. Clin Ther. 2009 Mar;31(3):492-502
3. Emborg C1, Hallerbäck T, Jörgensen L, Carlborg A. A retrospective
study of clinical usage of quetiapine XR and quetiapine
IR in outpatients with schizophrenia in Denmark. Hum
Psychopharmacol. 2012 Sep;27(5):492-8.
4. Eriksson L, Hallerbäck T, JørgensenL , and Carlborg A. Use
of quetiapine XR and quetiapine IR in clinical practice for hospitalized
patients with schizophrenia: a retrospective study.
Ther Adv Psychopharmacol. 2012 Dec; 2(6): 217-226.
5. Figueroa C1, Brecher M, Hamer-Maansson JE, Winter H. Pharmacokinetic
profiles of extended release quetiapine fumarate
compared with quetiapine immediate release. Prog Neuropsychopharmacol
Biol Psychiatry. 2009 Mar 17;33(2):199-204.
6. Kahn RS1, Schulz SC, Palazov VD, Reyes EB, Brecher M, Svensson
O, Andersson HM, Meulien D; Study 132 Investigators. Efficacy
and tolerability of once-daily extended release quetiapine fumarate
in acute schizophrenia: a randomized, double-blind, placebo-
-controlled study. J Clin Psychiatry. 2007 Jun;68(6):832-42.
7. King DJ, Link CG, Kowalcyk B. A comparison of bd and tid dose
revista brasileira de medicina - edição especial/neuropsiquiatria - vol. 73 - janeiro de 2015 - N ESPECIAL H4
regimens of quetiapine in the treatment of schizophrenia.
Psychopharmacology (Berl). 1998 May;137(2):139-46.
8. Peuskens J, Trived Ji, Malyarov S, Brecher M, Svensson O,
Miller F, PerssonI, Meulien D. Prevention of Schizophrenia
Relapse with Extended Release Quetiapine Fumarate Dosed
Once Daily. Psychiatry (Edgmont). 2007 Nov; 4(11): 34-50
9. Pompili M1, Rihmer Z, Gonda X, Serafini G, Sher L, Girardi P.
Early onset of action and sleep-improving effect are crucial in
decreasing suicide risk: the role of quetiapine XR in the treatment
of unipolar and bipolar depression. Riv Psichiatr. 2012
Nov-Dec;47(6):489-97.
10. Riedel M1, Schmitz M2, Østergaard PK3, Ferrannini L4, Franco
MA5, Alfano V6, Vansvik ED7. Comparison of the effects of quetiapine
extended-release and quetiapine immediate-release on
cognitive performance, sedation and patient satisfaction in
patients with schizophrenia: a randomised, double-blind, crossover
study (eXtRa). Schizophr Res. 2015 Mar;162(1-3):162-8.
11. Riesenberg RA1, Baldytcheva I, Datto C. Self-reported sedation
profile of quetiapine extended-release and quetiapine
immediate-release during 6-day initial dose escalation in
bipolar depression: a multicenter, randomized, double-blind,
phase IV study. Clin Ther. 2012 Nov;34(11):2202-11.
12. Rihmer Z1. [Antidepressive efficacy of quetiapine XR in unipolar
major depression--the role of early onset of action and
sleep-improving effect in decreasing suicide risk]. Neuropsychopharmacol
Hung. 2009 Dec;11(4):211-5.
13. Small JG, Hirsch SR, Arvanitis LA, Miller BG, Link CG. Quetiapine
in patients with schizophrenia. A high- and low-dose double-
-blind comparison with placebo. Arch Gen Psychiatry. 1997
Jun;54(6):549-57.