Home Busca Avançada Normas de Publicação Assinaturas Fale Conosco
Contact Us
 
 

 

CopyRight
Moreira Jr Editora
Proibida a reprodução sem autorização expressa


 
sêlo de qualidade
Like page on Facebook



GANEPÃO 2013
INICIAÇÃO À PESQUISA - IP
GANEPÃO 2013

IP001 - ESTADO NUTRICIONAL DE PACIENTES PORTADORES DE NEFROPATIA DIABÉTICA EM HEMODIALISE NUM CENTRO DE DOENÇAS RENAIS NO AMAZONAS

Instituição: Universidade Nilton Lins, Manaus - AM
Autores: Formiga DCVP, Paz AS.

Objetivos: Estudar o estado nutricional de 50 pacientes com Nefropatia Diabética em Hemodiálise. Materiais e Métodos: O estado nutricional dos 50 pacientes foi estudado por meio de parâmetros bioquímicos, ingestão de proteínas e registro do consumo alimentar, o recordatórios de 24 horas. Resultados: Os resultados dos valores de IMC, média de IMC, média de Linfócitos e de albumina sérica, demonstraram estar adequados, sendo que houve uma variação na PCT no P5, onde 50 % dos pacientes apresentaram PCT abaixo do percentil 5, evidenciando uma perda de gordura corporal em ambos os sexos. Observou-se também que o consumo médio de Kcal/kg de peso e de proteínas/kg de peso, foram 30,0 kcal e 1,24g respectivamente, demonstrando assim uma baixa ingestão proteico-calorica. O somatório de dobras, evidenciou normalidade na maioria dos casos, sendo que 8,3% dos homens apresentaram desnutrição e 78,57 das mulheres apresentaram obesidade. Conclusão: A hemodiálise "per si" é um evento catabólico, capaz de aumentar a desnutrição no grupo estudado, o reduzido consumo calórico-proteico podem agravar mais o estado e diminuir a sobrevida desses pacientes. Um efetivo controle glicêmico deve ser aplicado para melhor controle das lesões nefróticas. Unitermos: Estado Nutricional, Nefropatia Diabética, Hemodiálise.

IP002 - PERFIL DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS COM DIAGNÓSTICO DE SOBREPESO E OBESIDADE PELO ÍNDICE DE MASSA CORPÓREA (IMC) X RISCO DE DESNUTRIÇÃO E DESNUTRIÇÃO

Instituição: Residencial Israelita Albert Einstein, São Paulo - SP
Autores: Lutfi TB, Sato G, Ribeiro MI.

Objetivos: Identificar mediante instrumentos de avaliação o risco de desnutrição e desnutrição em idosos institucionalizados com sobrepeso ou obesidade. Materiais e Métodos: O presente estudo foi desenvolvido no Residencial Israelita Albert Einstein, na cidade de SP. O tamanho da amostra é de 28 idosos (17,72%) do total de 158 idosos institucionalizados, com diagnóstico de sobrepeso e obesidade, através do IMC por SABE/OPAS,2002,destes 28,57%(8) são do gênero masculino e 71,43%(20)são do gênero feminino. Foram utilizados como instrumentos de avaliação: circunferência do braço e de panturrilha, e a Mini Avaliação Nutricional (MAN),que é uma ferramenta que pode identificar em pacientes com idade maior ou igual a 65 anos, que estão desnutridos ou com risco de desnutrição. Ela é dividida, além da triagem, em quatro partes: avaliação antropométrica; avaliação global; avaliação dietética; e auto-avaliação. O resultado em um escore total menor que 17 pontos classificou o idoso como desnutrido, entre 17 e 23,5 pontos, com risco de desnutrição, e acima de 23,5 pontos, como bem nutrido. Os dados foram coletados em dois momentos(2011 e 2012). Resultados: Dos 28 idosos obesos avaliados verificou-se um aumento de 3,57% de idosos com risco de desnutrição e aumento de 3,57% com obesidade e redução de 7,14% de idosos em eutrofia, diagnosticados através da circunferência de braço realizada em 2011 e 2012, porém o diagnóstico de eutrofia, risco de desnutrição e obesidade, diagnosticados através da circunferência da panturrilha se manteve de um ano para o outro. Em relação ao diagnóstico através da MAN, verificou-se um aumento de 7,4% de idosos com risco de desnutrição e aumento de 3,57% de idosos desnutridos e uma redução de 10,72% de idosos bem nutridos. Conclusão: A aplicação dos instrumentos mostra a importância de uma avaliação nutricional em idosos, pois através deles, podemos verificar que apesar do idoso apresentar sobrepeso ou obesidade ele pode ser sarcopênico, necessitando de uma intervenção precoce para evitar perda de massa muscular de forma acelerada, com a introdução de suplemento ou o trabalho em conjunto com a fisioterapia. Unitermos: Idoso, Sobrepeso, Avaliação Nutricional.

IP003 - IDENTIFICAÇÃO DE FATORES DE RISCOS CINEANTROPOMÉTRICOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA SÍNDROME METABÓLICA EM TRABALHADORES DE ATIVIDADES COM BAIXA DEMANDA ENERGÉTICA: UM ESTUDO COM MOTORISTAS DE ÔNIBUS

Instituição: Centro Universitário Estácio da Bahia, Salvador - BA
Autores: Maciel RRBT, Silva CM, Dantas KS.

Objetivos: Identificar fatores de risco entre os indicadores antropométricos para desenvolvimento da Síndrome Metabólica em motoristas de ônibus urbanos situados na Cidade de Salvador/Bahia. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo descritivo. Amostra: Foram utilizados os dados dos prontuários de todos os motoristas de ônibus de uma empresa de transporte localizada na Cidade de Salvador- Bahia que autorizaram a coleta dos dados que constam nos seus prontuários de avaliação dos serviços de saúde da empresa e que realizaram ao menos, um exame periódico de saúde após a sua admissão. Os dados dos sujeitos da pesquisa foram estratificados de acordo com o tempo de serviço ininterrupto na empresa. Foi realizada a estatística descritiva dos parâmetros estudados: Índice de massa corporal; circunferência da cintura, nível de atividade física e risco cardíaco. Os dados foram identificados como variáveis que representam fatores de risco para o desenvolvimento da síndrome metabólica e variáveis que caracterizam a síndrome metabólica. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos do Centro Universitário Estácio da Bahia, parecer 242. Resultados: Dos 34 sujeitos avaliados, 29,4% apresentaram obesidade grau I; 44,1% tinham sobrepeso e 26,5% eram eutróficos. No que diz respeito ao histórico familiar, 20% possuíam parentes em primeiro grau com Hipertensão Arterial Sistêmica e 11% Diabetes Mellitus. Da amostra estudada, 56% possuíam circunferência abdominal superior a 90 centímetros.

Houve relato de uso do álcool em 74% e de tabagismo em 6% dos sujeitos avaliados. O colesterol total estava elevado em 44% dos sujeitos e 80,5% apresentavam baixa ingesta ou nenhuma ingesta de frutas e verduras. Conclusão: Foi possível observar, neste estudo, um número considerável de indivíduos com doenças crônicas não transmissíveis associadas entre si conduzindo à Síndrome Metabólica. Unitermos: Síndrome Metabólica, Motoristas de Ônibus, Dados Cineantropométricos.

IP004 - AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL EM ESCOLARES MATRICULADOS EM UMA ESCOLA PÚBLICA DO DF PARTICIPANTE DOS PROJETOS "CAFÉ DA MANHÃ NA ESCOLA" E "AGRICULTURA FAMILIAR NAS ESCOLAS"

Instituição: Universidade Paulista, Brasilia - DF
Autores: Borges TO, Carvalho W, Peixoto ML, Lopes KR, Haack A.

Objetivos: Avaliar o estado nutricional em escolares matriculados em uma escola pública do DF participantes dos projetos "café da manhã na escola". Materiais e Métodos: Estudo analítico, com delineamento transversal, compostos por 100 crianças de 0 até 9 anos e 11 meses e 29 dias e 137 adolescentes de 10 a 19 anos, participantes do programa de fornecimento de merenda escolar da Secretaria do Estado de Educação do DF. A análise do estado nutricional foi verificada através do peso e altura de acordo com a metodologia do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) e dados antropométricos. Resultados: A análise do estado nutricional identificou que entre os participantes, 91% apresentaram estatura adequada para a idade e em 7% da amostra foi observada baixa estatura para a idade. Ao se avaliar o Índice de Massa Corporal por idade, observou-se que 72% dos estudantes estavam eutróficos e 8% apresentaram sobrepeso. Conclusão: A merenda escolar é uma importante política pública voltada para os escolares e contribui com ações de Educação Nutricional. O programa "Café da Manhã na Escola" fornece refeições produzidas localmente em cantinas escolares, para os alunos das escolas públicas, e pode contribuir para um adequado estado nutricional conforme observado neste estudo. Unitermos: Nutrition Assessment, School Feeding.

IP005 - AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE PACIENTES ONCOLÓGICOS EM UMA CLÍNICA DE QUIMIOTERAPIA NA CIDADE DE VITÓRIA - ES

Instituição: Faculdade Católica Salesiana, Vitória - ES
Autores: Silva SAC, Melo JGS, Pereira LR.

Objetivos: Avaliar o perfil nutricional de pacientes oncológicos que tenham câncer de pulmão, mama e intestino e estabelecer a relação entre o tratamento quimioterápico ao estado nutricional da população estudada. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo de campo descritivo, transversal, quantitativo e documental. Amostra constituída por 20 pacientes diagnosticados com câncer de mama, pulmão e intestino atendidos em uma clínica de quimioterapia na cidade de Vitória localizado no estado do Espírito Santo. Foram coletados dados antropométricos e dietéticos. Resultados: Os pacientes assistidos 6 homens (30%) e 14 mulheres (70%). A faixa etária com maior prevalência de câncer foi a de 50 a 59 anos. A idade média dos participantes foi de 53,15 anos. Foram encontrados 45% (n= 9) dos pacientes com câncer de intestino e 55% (n=11) com câncer de mama. Nos homens só houve casos de câncer de intestino, e nas mulheres prevaleceu os casos de câncer de mama 78% (n=11) e 21,4% (n=3) das mulheres com câncer de intestino. Não houve casos de câncer de pulmão. Praticavam alguma atividade física: 15%. Consumiam bebida alcoólica: 20%. Em relação ao tabagismo todos negaram o uso de cigarro. Prevalência de doenças na família: 85% dos pacientes tinham parentes com algum tipo de patologia. Doenças associadas ao câncer: 45% dos pacientes apresentaram algum tipo de doença associada ao diagnóstico do câncer. Efeitos colaterais do tratamento: 70% apresentaram náuseas seguidas da fraqueza 25% e vômitos 20%. Conclusão: Pacientes portadores de neoplasias de intestino e mama apresentaram um perfil nutricional principal de sobrepeso e obesidade. A desnutrição não foi muito observada nos pacientes, porém a perda de peso é frequente, logo o risco de desnutrição existe. Unitermos: Avaliação Nutricional, Pacientes Oncológicos, Tratamento Quimioterápico.

IP006 - TRIAGEM NUTRICIONAL EM CRIANÇAS HOSPITALIZADAS

Instituição: Faculdade Católica Salesiana, Vitória - ES
Autores: Alves M, Marquardt I, Pereira LR, Campos PR, Nascimento AG.

Objetivos: Este estudo objetivou identificar risco nutricional em crianças e adolescentes de um hospital da rede pública estadual em Vitória - ES. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo transversal de abordagem qualitativa, que utilizou como instrumento de coleta de dados: análise de prontuário e triagem nutricional - STRONGkids. O estudo foi constituído por 56 crianças, sendo 32 (57,14%) do sexo masculino e 24 (42,86%) do sexo feminino. Resultados: Os principais resultados obtidos mostraram que 23,21% da amostra apresentavam alto risco ou possibilidade de desnutrição e 58,93% médio risco, além disso, 23,43 % da amostra já apresentavam sinais de desnutrição. A diminuição da ingestão alimentar foi referida por 23,21% da população estudada, 10,71% os pacientes apresentavam episódios de vômitos e 7,14 apresentavam diarreia. A perda de peso foi referida por 33,92% da amostra. Conclusão: Os resultados do trabalho apontam a importância em valorizar a avaliação do estado nutricional das crianças na admissão. Considerando que a ausência de providências manterá a desnutrição silenciosa, associando-se ao aumento da incidência de infecções hospitalares, que prolonga o tempo de internação. Unitermos: Desnutrição Hospitalar, Avaliação Nutricional, Triagem Nutricional.

IP007 - PERFIL ANTROPOMÉTRICO, DIETÉTICO E BIOQUÍMICO DE RENAIS CRÔNICOS DE UMA CLÍNICA DE NEFROLOGIA DE CARUARU - PE

Instituição: Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro - RJ
Autores: Silva RPB, Silva RKB, Bezerra RK, Pena GG, Lopes AMFP.

Objetivos: Avaliar estado nutricional de pacientes renais crônicos em hemodiálise. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo de caráter transversal e analítico. O estudo foi realizado em uma Clínica de nefrologia de Caruaru-PE. Foram avaliados 115 pacientes maiores de 20 anos que não apresentaram doenças neoplásicas ou inflamatórias, infecções recentes, interrupção no tratamento e sem uso de corticosteroides. A avaliação do estado nutricional incluiu as seguintes medidas antropométricas: peso, altura, circunferência do braço (CB) e dobras cutâneas. Foram calculados Índice de Massa Corpórea (IMC), circunferência muscular do braço (CMB), área muscular do braço corrigida (AMBc) e percentual de gordura corporal (%GC). Avaliaram-se os níveis séricos de creatinina, albumina, paratormônio (PTH), índice de remoção de ureia (Kt/V) e registro alimentar de três dias. Para análise estatística utilizou-se média, desvio padrão, correlação de Pearson e teste do Quiquadrado (i7²). Resultados: A amostra envolveu 61,7% de pacientes do sexo masculino. A média de idade foi de 47,5 ± 15,9 anos e o IMC de 22,9 ± 3,9kg/m². A depleção de gordura corporal foi presente em ambos os sexos (77,4%), enquanto que a depleção de massa magra foi mais acentuada nos indivíduos do sexo masculino (81,7%; p<0,001). Por outro lado, o %GC esteve acima da média em 41,7%, sem diferença entre os sexos (p>0,05). Observaram-se valores de Kt/V acima de 1,2 em 63,5% dos avaliados. A creatinina apresentou média de 10,9± 3,5 mg/dL e PTH 370,8± 547,6pg/dL. Conclusão: A desnutrição foi evidente na população e as variáveis bioquímicas não estiveram associadas com o perfil antropométrico. Unitermos: Desnutrição, Insuficiência Renal Crônica, Hemodiálise.

IP008 - PERFIL NUTRICIONAL DE PACIENTES COM CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO DE UM CENTRO DE ONCOLOGIA EM CARUARU - PE

Instituição: Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro - RJ
Autores: Silva RKB, Silva RPB, Bezerra RK, Pena GG.

Objetivos: Avaliar o estado nutricional e ingestão alimentar de pacientes com diagnóstico de câncer de cabeça e pescoço. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo transversal analítico, realizado no período de setembro a outubro de 2011. Foram avaliados peso, altura e Índice de Massa Corporal (IMC) e percentual de perda de peso (%PP). A ingestão alimentar foi obtida por meio de recordatório de 24 horas e, posteriormente, os valores de ingestão energética e proteica foram analisados. Obtiveram-se informações sobre alterações na dieta ou presença de sintomas que podem influenciar na ingestão alimentar. A pesquisa da associação entre variáveis categóricas nominais foi realizada através do teste do qui-quadrado (c2), resultando na determinação dos percentuais (%), Razão de Prevalência (RP) e respectivo Intervalo de Confiança de 95%. O nível de significância estatístico adotado foi de 5%. Resultados: Foram avaliados 111 indivíduos, com idade média de 57,6 ± 16,1 anos. A média do IMC encontrada foi de 23,2 ± 5,9kg/m². Dentre os avaliados, 59 (53,1%) apresentou perda de peso grave. A média de ingestão energética e proteica foi de 1.297,2 ± 466,0 kcal/dia e 52,3± 21,7 g de proteína/dia. A maioria dos avaliados 63 (56,8%) apresentou algum tipo de alteração na dieta. Conclusão: A perda de peso e a deficiência na ingestão alimentar foram evidentes na população estudada. Desta forma, a avaliação nutricional e dietética é importante para definir o perfil dos pacientes, assim como é necessário que seja feito o ajuste das necessidades nutricionais para que as complicações sejam evitadas. Unitermos: Desnutrição, Câncer de Cabeça e Pescoço, Avaliação Nutricional.

IP009 - ANTROPOMETRIA DE PACIENTES RENAIS COM E SEM HIPERPARATIREOIDISMO SECUNDÁRIO

Instituição: Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro - RJ
Autores: Bezerra RK, Silva RPB, Silva RKB, Pena GG.

Objetivos: Verificar a associação entre os níveis de paratormônio (PTH) e o estado nutricional de pacientes renais crônicos com submetidos à hemodiálise. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo descritivo de caráter transversal. Participaram do estudo 70 pacientes de uma clínica de nefrologia de Caruaru, no período de setembro a outubro de 2011. Os pacientes foram divididos em dois grupos de acordo com os níveis de PTH. O grupo 01 constituído por indivíduos com PTH <300 pg/ml e o grupo 2 com PTH e"300pg/ml. As medidas antropométricas utilizadas foram peso, altura e mensuração da circunferência do braço (CB) e prega cutânea triciptal (PCT). Utilizaram-se níveis séricos de cálcio, fósforo e PTH. Foi aplicado recordatório de três dias para avaliar ingestão calórica, proteica e de fósforo. Para análise estatística utilizou-se média, desvio padrão, teste do Quiquadrado, t Student e correlação de Pearson. Adotou-se nível de significância de 5%. Resultados: A amostra envolveu 51,4% de pacientes do sexo masculino. A média de idade foi de 45,6 ± 15,6 anos e o IMC de 23,1± 5,3kg/m². A adequação do PCT e CMB apresentou-se abaixo do percentil 5 em ambos os grupos. Observou-se média de fósforo sérico acima do recomendado e níveis de cálcio sérico normal. Conclusão: Os resultados evidenciaram que o PTH não foi associado com a desnutrição. Unitermos: Desnutrição, Hiperparatireoidismo Secundário, Insuficiência Renal Crônica.

IP010 - PERFIL NUTRICIONAL DE PACIENTES ONCOLÓGICOS ATENDIDOS NO AMBULATÓRIO DE NUTRIÇÃO DO SETOR DE ONCOLOGIA DO HOSPITAL FEDERAL DE BONSUCESSO

Instituição: Hospital Federal de Bonsucesso, Rio de Janeiro - RJ
Autores: Pereira EPRRN, Fonseca KR, Oliveira ACD, Santiago MR, Correia DMB.

Objetivos: O presente trabalho tem por objetivo traçar e analisar o perfil nutricional de usuários do Ambulatório de Nutrição do Setor de Oncologia do HFB, na faixa etária acima de 18 anos, atendidos em um período determinado, através de avaliação nutricional antropométrica realizada na primeira consulta. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo prospectivo e longitudinal. A amostra é composta de pacientes oncológicos de ambos os sexos, com idade superior a 18 anos, assistidos no Ambulatório de Oncologia do Hospital Federal de Bonsucesso, no ano de 2012. Os dados foram coletados por meio de consultas individualizadas com nutricionista, e utilizados métodos diretos de avaliação do estado nutricional - índice de Massa Corpórea - IMC (OMS, 1995 e 1998) e IMC para idosos (Lipschitz, 1994). O peso corporal utilizado foi aferido no dia da primeira consulta, através de balança plataforma calibrada, com capacidade para 150 kg. Para aferição da estatura foi utilizado o estadiômetro afixado à balança. Resultados: Pacientes oncológicos apresentam alterações em seu estado nutricional, quer pela patologia em curso, pelo tratamento adotado, por intercorrências e/ou comorbidades. Foi constatado que a maior parte dos pacientes oncológicos encontra-se com baixo peso, em graus variados de desnutrição, de acordo com alterações advindas do tratamento proposto, seja nos hábitos alimentares e/ou absorção de nutrientes (perda de apetite, disfagia, odinofagia, xerostomia, náuseas, vômitos, diarreia, constipação intestinal, flatulência), e principalmente relacionado ao tipo, localização e estadiamento do tumor e presença de metástase. Conclusão: A avaliação nutricional é um instrumento de grande importância para que o profissional nutricionista possa intervir visando promover, recuperar ou manter o estado nutricional propiciando maior tolerância ao tratamento e melhor qualidade de vida ao paciente. Unitermos: Avaliação Nutricional, Estado Nutricional, Câncer, Perfil Nutricional.

IP011 - FATORES DE RISCO PRESENTES EM PORTADORAS DE CÂNCER DE MAMA ATENDIDAS PELA ASSOCIAÇÃO DE AMPARO A CRIANÇAS, ADOLESCENTES E ADULTOS COM O CÂNCER DE UBERLÂNDIA, MINAS GERAIS

Instituição: Centro Universitário do Triângulo - UNITRI, Uberlândia - MG
Autores: Pereira MN, Morsoletto RHC.

Objetivos: Avaliar os fatores de riscos comuns entre mulheres câncer de mama atendidas pela Associação de Amparo a Crianças e Adolescentes e adultos com Câncer de Uberlândia - MG. Materiais e Métodos: Participaram desta pesquisa, 48 mulheres com câncer de mama, com idade superior a 18 anos de idade, que foram atendidas pela Associação de Amparo á Crianças, Adolescentes e Adultos com o Câncer de Uberlândia, da cidade de Uberlândia MG e que assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido. As participantes da pesquisa responderam a um questionário semiestruturado com questões gerais sobre dados de identificação, histórico, dados de saúde, avaliação da atividade física, e investigação dietética. Em seguida foram encaminhadas para avaliação antropométrica de peso e altura. Para a avaliação do peso corporal foi usada balança antropométrica mecânica, da marca Welmy, com capacidade mínima de 2,1 kg e máxima de 150 kg, previamente calibrada e registrando zero antes da medida, com precisão de 100 gramas. Resultados: Os dados obtidos pela presente pesquisa,apontam que 87,5 % das participantes ingerem de 1-3 porções diárias de carne vermelha, 50% das participantes ingerem de 1-3 porções de linguiça, 47,92% das participantes ingerem de 1-3 porções diárias de suco artificial, 47,92% das participantes ingerem de 1-3 porções diárias de enlatados e 45,83% das participantes ingerem de 1-3 porções diárias de bebida gasosa. Os resultados encontrados apontam para alto consumo deste grupo de alimentos que tem sido apontado por inúmeras pesquisas como agentes que contribuem para maior incidência de câncer.Quanto ao sedentarismo, mais de 60% das pacientes não são praticantes de atividade física, que também é considerado como um fator de risco para esta doença. Os dados em relação ao tabagismo encontrados pela pesquisa apontam que 25% das entrevistadas fumavam, enquanto 75% das entrevistadas não tinham esse hábito. Conclusão: As mulheres portadoras de câncer de mama atendidas pela Associação do Câncer de Amparo a Crianças, Adolescentes e Adultos com o Câncer de Uberlândia apresentam consumo elevado de alimentos potencialmente cancerígenos, com predomínio da carne vermelha, o que está em concordância com outros estudos apontando esses alimentos como alto fator de risco para esta doença. Unitermos: Câncer de Mama, Fatores de Risco, Alimentos Antioxidantes.

IP012 - PERFIL NUTRICIONAL DE INTERNOS DE UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA DO MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA - MG, ATRAVÉS DA MINI AVALIAÇÃO NUTRICIONAL E DE DADOS ANTROPOMÉTRICOS

Instituição: Centro Universitário do Triângulo - UNITRI, Uberlândia - MG
Autores: Ferreira RMLM, Morsoletto RHC.

Objetivos: Avaliar o estado nutricional dos internos de uma instituição de longa permanência do município de Uberlândia - MG. Para avaliação foram utilizados dados antropométricos e aplicação da mini avaliação nutricional (MNA®). Materiais e Métodos: O presente trabalho foi realizado em uma instituição de longa permanência no município de Uberlândia - MG, durante os meses de novembro e dezembro de 2011. Participaram da pesquisa os internos desta instituição de ambos os sexos, com idade superior a 18 anos, com idade média de setenta anos e seis meses para homens e setenta e dois anos e dois meses para mulheres, sendo constituída em sua maioria de idosos. Todos participaram mediante a assinatura do Termo de Consentimento Livre Esclarecido. Não fez parte da amostragem indivíduos com membros inferiores amputados. Inicialmente foram aferidas as medidas antropométricas de peso, altura, circunferência da panturrilha, circunferência do braço e feito cálculos de circunferência muscular do braço e índice de massa corpórea. Em seguida a aplicação dos questionários da mini avaliação nutricional. Resultados: Os resultados de índice de massa corpórea (IMC) para indivíduos com até 64 anos e 11 meses mostraram homens com 100% de eutrofia e mulheres com 50% de magreza e 50% de sobrepeso. Para indivíduos acima de 65 anos, a maioria das mulheres (50%) apresentaram magreza e 50% dos homens excesso de peso. Os resultados de prega cutânea triciptal (PCT) para indivíduos com menos de 74 anos e 9 meses, 80% do sexo masculino encontraram-se eutróficos e 50% das mulheres com provável perda de gordura. Para indivíduos acima de 74 anos e 9 meses, os homens apresentaram 66,67% de normalidade e as mulheres 50% de provável perda de gordura. Em relação à CP, 100% do sexo feminino e 75% do masculino tiveram perda de massa muscular. Os resultados da MNA® demonstraram que 87,50% do sexo masculino se encontravam em risco de desnutrição. O sexo feminino apresentou 50% de risco de desnutrição, 33,33% de normalidade e 16,67% em estado de desnutrição. Foi encontrada correlação positiva, estatisticamente significante entre os valores de IMC e da circunferência da panturrilha (CP). Conclusão: Pode-se considerar que a avaliação nutricional destes residentes, através de vários parâmetros antropométricos associados à MNA® demonstraram risco nutricional com perda de tecido muscular. Unitermos: Avaliação Nutricional, Desnutrição, Antropometria.

IP013 - RELAÇÃO ENTRE OBESIDADE E SEDENTARISMO E O CÂNCER DE MAMA

Instituição: Centro Universitário do Triângulo - UNITRI, Uberlândia - MG
Autores: Morsoletto RHC, Costa EC.

Objetivos: Este estudo tem como objetivo verificar a associação entre distribuição da gordura corporal, nível de atividade física e câncer de mama. Materiais e Métodos: A pesquisa foi realizada na Associação de Amparo à Crianças, Adolescentes e Adultos com Câncer (ACRAAC), situada na avenida Araguari,280, bairro Martins, no município de Uberlândia (MG). Participaram da pesquisa 48 mulheres de idade superior a 18 anos com diagnóstico de câncer de mama e que concordaram em fazer parte desta pesquisa e assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido. Em seguida foram aferidos o peso, a estatura, a circunferência da cintura e do quadril e logo após foram realizados o cálculo de índice de massa corporal (IMC), o índice de adiposidade corporal (IAC) e a razão cintura/quadril (RCQ). O cálculo do IAC foi feito através da fórmula [Quadril. Resultados: De acordo com a classificação de IMC, observa-se que uma grande porcentagem de pacientes com câncer de mama, 45,83%, estão com sobrepeso e 25% com obesidade. Segundo a classificação de IAC 43,75% aparecem com obesidade e 20,83% com sobrepeso. Quanto à relação cintura/quadril, 60,42% possuem maior que 0,8 cm, o que é inadequado. Segundo Simon et al., 2003, a propensão do câncer de mama, é maior em mulheres mais obesas.Quanto à atividade física, observa-se que, 62,50%, não realizavam nenhum tipo de atividade física antes do aparecimento da doença e das que praticavam, 46,66% era com uma periodicidade de 3 vezes por semana.De acordo com pesquisas, a atividade física de maneira regular, prescrita corretamente está relacionada à redução dos riscos de câncer de mama em até 30%, além de ser um efetivo mecanismo controle de peso. Segundo Prado et al., 2000, a combinação do sedentarismo com o excesso de peso gera alterações de mecanismos fisiológicos como a formação de radicais livres e danos oxidativos. Conclusão: A relação entre o câncer de mama e o índice de massa corpórea, o índice de adiposidade corporal e razão cintura quadril é uma realidade, e foi bem evidenciada neste estudo. Unitermos: Câncer de Mama, Índice de Massa Corpórea, Índice de Adiposidade Corporal.

IP014 - ALBUMINA SÉRICA E LINFÓCITO TOTAL COMO INDICADOR DE EVOLUÇÃO CLÍNICA EM PACIENTES CRÍTICOS

Instituição: Universidade Federal do Amazonas, Manaus - AM
Autores: Cruz PRB, Aguiar MCT, Carvalho HMSC, Souza CSM, De Oliveira MC.

Objetivos: Analisar a albumina e linfócito total sérico como indicador de evolução clínica do estado nutricional em pacientes graves. Materiais e Métodos: Utilizou-se estudo transversal, testando indicadores bioquímicos na avaliação nutricional de pacientes em UTI de um Hospital de Manaus-AM. Realizaram-se aferições antropométricas; bioquímicas e índice de prognóstico nutricional instantâneo (ANI). Resultados: Do total de 20 participantes avaliados, 60% eram homens, 40% mulheres, idade mediana (44,5; 45,5 anos) e estatura (180,95cm±14,8; 178,77cm±9,14) respectivamente. A mediana de linfócitos foi de 1494,53 mm³ para homens e 1150,23 mm³ para mulheres. Sete indivíduos participantes mostraram albuminemia <3,5g/dL. A evolução clínica utilizando ANI foi de mau prognóstico com mortalidade no sexo feminino (62,50%) e nos homens (50%). A sobrevida observada na UTI foi de 50% (6) nos homens e 37,50% (3) nas mulheres. Conclusão: Os resultados sugerem que a avaliação bioquímica utilizando albumina e linfocitometria confirmam o mau prognóstico quando aplicado o índice de prognóstico, avaliação nutricional instantânea. Unitermos: Manejo UTI, Albuminemia, Linfopenia, Índice de Prognóstico.

IP015 - ADEQUAÇÃO DO SUPORTE NUTRICIONAL EM PACIENTES EM USO DE TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL

Instituição: Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe, Aracaju - SE
Autores: Melo TTR, Almeida RR, Souza MFC, Dantas CAO, Santos Filha EO, Pereira LC.

Objetivos: Avaliar a adequação do suporte nutricional em pacientes em uso exclusivo de Terapia Nutricional Enteral (TNE). Materiais e Métodos: Estudo transversal, realizado em dois hospitais públicos da cidade de Aracaju, Sergipe, Brasil. Os valores prescritos de calorias e macronutrientes foram coletados a partir dos prontuários clínicos e fichas dos Serviços de Nutrição e Dietética dos hospitais. O critério de inclusão foi o uso exclusivo de TNE por parte dos pacientes e o critério de exclusão foi o tempo de permanência hospitalar inferior a sete dias e/ou condições que alterassem os resultados da avaliação nutricional. Os pacientes foram avaliados em dois momentos: no início e ao final do acompanhamento do uso da TNE. Para avaliar a adequação de calorias e macronutrientes da TNE foram calculadas as Necessidades Energéticas Estimadas (NEE) e foram utilizados os valores de referência da AMDR/DRI (2002), e estes foram comparados com a média de valores prescritos durante o uso da terapia. Os dados foram analisados no Softwaare SPSS, versão 18.0. Adotou-se um nível de significância de 5% ou p<0,05. Resultados: A amostra foi composta por 30 pacientes com média de idade de 46,96 ± 18,46 anos, sendo 54,8% do gênero masculino. O tempo médio de acompanhamento foi 28 dias. Os diagnósticos mais frequentes foram o Traumatismo Crânio-Encefálico (35,5%) e o Acidente Vascular Encefálico (29,0%). A média de valores iniciais da NEE foi 2.254,84 ± 455,80 kcal/dia e 2.253,57 ± 514,04 kcal/dia na avaliação final. A média de consumo calórico inicial foi 1.719,40 ± 554,33 kcal/dia e final foi 1.883,38 ± 600,60 kcal/dia, suprindo apenas uma média de 76,2% das necessidades energéticas, inicialmente, evoluindo para 83,5% na avaliação final. A prescrição inicial de carboidratos foi 997,25 ± 455,80 kcal/dia, de proteínas 1,47 ± 0,81 g/kg/dia e de lipídios 429,85 ± 138,58 kcal/dia. A média de prescrição nutricional na avaliação final para carboidratos foi 976,36 ± 312,51 kcal/dia, para proteínas 2,15 ± 1,16 g/kg/dia e lipídios 470,84 ± 150,15 kcal/dia. Portanto, em relação aos macronutrientes, observou-se um aumento significativo na prescrição de proteínas (p<0,001) e diminuição dos carboidratos (p<0,001). Conclusão: O estudo demonstrou a presença de inadequação na oferta calórica, o que pode acarretar um déficit energético importante, apesar da oferta proteica média ter se adequado na avaliação final. A melhora no estado nutricional de pacientes críticos que recebem a TNE depende da avaliação e controle desde a prescrição até a administração do referido suporte. Unitermos: Terapia Nutricional Enteral, Adequação Nutricional, Pacientes Hospitalizados.

IP016 - IMPORTÂNCIA DA TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL COM EPA, GLA E ANTIOXIDANTES NA SÍNDROME DA ANGÚSTIA RESPIRATÓRIA AGUDA (SARA): UM RELATO DE CASO

Instituição: Hospital Metropolitano Sul - Dom Helder Câmara, Cabo de Santo Agostinho - PE
Autores: Silva NA, Moura NMR, Duarte DA.

Objetivos: Controlar a resposta inflamatória da SARA, auxiliar no desmame da assistência ventilatória mecânica (AVM) e fornecer aporte nutricional adequado para manter o estado nutricional do paciente. Materiais e Métodos: Foi realizada avaliação nutricional no momento da admissão na UTI através da estimativa da altura, a partir da fórmula da altura do joelho de CHUMLEA (1985), e do índice de massa corporal (IMC), seguindo a proposta de LIPSCHITZ (1994), para obter o peso ideal. Foi ofertada dieta caloricamente densa, com baixo teor de carboidratos, contendo EPA (ácido eicosapentaenoico), GLA (ácido gama linoleico) e antioxidantes. Posteriormente foi modificada para dieta padrão, completa, hipercalórica e hiperproteica, até progredir para dieta via oral exclusiva. Resultados: Paciente obeso crítico, admitido na UTI com insuficiência respiratória aguda secundária a hemorragia pulmonar por Síndrome de Goodpasture, e evolução para SARA no 3º dia de internamento. Iniciou dieta com EPA, GLA e antioxidantes no dia seguinte, concomitante a pulso e antibioticoterapia, além de estratégias protetoras ventilatórias, as quais são consideradas até o momento as únicas efetivas no tratamento desta patologia. Entretanto, após o quarto dia de uso da fórmula o paciente apresentou parâmetros respiratórios que evidenciaram a remissão da SARA. No 7º dia de terapia nutricional enteral a dieta foi modificada para fórmula padrão/hiperproteica, utilizada por mais quatro dias, até progredir para dieta via oral exclusiva, após 24h de extubação. O mesmo foi submetido a doze dias de AVM e recebeu alta da UTI no 16º dia de internamento, apresentando estado nutricional adequado, bem como padrão ventilatório. Conclusão: A terapia nutricional aplicada neste paciente, associada à estratégia protetora de ventilação mecânica, atingiu os objetivos propostos, com remissão da SARA, desmame da AVM e adequado estado nutricional. Unitermos: Terapia Nutricional Enteral, SARA, Ácido Eicosapentaenoico, Ácido Gama Linoleico.

IP017 - PERFIL ANTROPOMÉTRICO DE PACIENTES EM USO DE NUTRIÇÃO ENTERAL EM INTERNAÇÃO DOMICILIAR

Instituição: Nutrir Prestadora de Serviços Médicos Ltda, Belém - PA
Autores: Santos GCP, Pantoja MS, Silva MAS, Costa LCR, Frazão MA, Nazare TAS.

Objetivos: Avaliar o perfil antropométrico de pacientes em uso de nutrição enteral atendidos por uma clínica especializada em Terapia Nutricional. Materiais e Métodos: Foi realizado estudo transversal em Ambulatório de Nutrição com um total de 10 pacientes com atendimento nutricional domiciliar no período de maio a agosto de 2012, realizando a análise de ficha de avaliação nutricional contendo a história clínica e dados antropométricos. Resultados: Observou-se que de um total de 10 pacientes, 60% do sexo feminino, com média de idade geral de 53,30 anos com prevalência de história clínica de base de Sequela neurológica por AVC (80%), ondeobservou-se quanto ao estado nutricional que: 60% encontram-se eutróficos, 10% apresentam magreza grau I, 20% apresentam magreza grau II e 10% apresentam magreza grau III. Apresentaram-se como principais doenças associadas ao diabetes (25,7%) e hipertensão (74,3%). Conclusão: O estado nutricional dos pacientes em uso de TNE domiciliar reflete o quanto o suporte nutricional domiciliar auxilia em maio proporção na manutenção do estado nutricional dessa população de idosos atendidas e o quanto as incidências de depleção antropométrica são diminuídas favorecendo assim a redução de intercorrências clínicas e possíveis números de internações hospitalares. Unitermos: Terapia Nutricional, Estado Nutricional, Nutrição Enteral, Avaliação Nutricional.

IP018 - AVALIAÇÃO DO RISCO NUTRICIONAL DE UM GRUPO DE IDOSOS USUÁRIOS DE UMA UNIDADE DE SAÚDE EM SÃO LUÍS - MA

Instituição: Centro Universitário do Maranhão, São Luís - MA
Autores: Morais JCS, Sales MM, Uchoa LC, Nascimento JXP.

Objetivos: A terceira idade constitui um grupo nutricionalmente vulnerável devido ao estado de saúde debilitado e as diversas dificuldades encontradas nessa fase (mobilidade, aquisição e preparo dos alimentos, hipercatabolismo e condição socioeconômica). O presente estudo teve como objetivo avaliar o risco nutricional de um grupo de idosos usuários de uma Unidade de Saúde em São Luís - MA. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo transversal, realizado de setembro a outubro de 2011. Foram avaliados 27 indivíduos acima de 60 anos de ambos os sexos. Para avaliar o estado nutricional utilizou-se a Mini Avaliação Nutricional (MAN), um importante instrumento de triagem nutricional e avaliação global, reconhecida por ser prática, não invasiva e uma ferramenta de rastreio de desnutrição em idosos sem necessitar realização de exames bioquímicos. A MAN contempla: questionário dietético (perguntas relatando o número de refeições e ingestão alimentar), avaliação antropométrica (IMC, circunferência do braço, circunferência da panturrilha e perda de peso), avaliação geral (estilo de vida, medicação e mobilidade) e avaliação subjetiva (percepção da saúde e nutrição). Para a análise dos dados foram utilizados os programas Bioestat® 5.0 e Microsoft® Office Excel 2003. Resultados: De acordo com a classificação do estado nutricional pela MAN verificou que 41% dos idosos apresentaram risco de desnutrição e 59% foram classificados como bem nutridos. Segundo ao IMC (Índice de Massa Corporal) o excesso de peso esteve presente em 33% e o diagnóstico de magreza em 8%. Analisando a história alimentar observou-se que 100% realizavam pelo menos três refeições por dia, porém com relevante diminuição da ingestão alimentar (70%) e perda de peso de um a três quilos nos últimos 3 meses (44%), a ingestão diária de carnes, aves ou peixes foi atendido por 100%, frutas ou vegetais em 33%, legumes ou ovos em 56%. Conclusão: Diante da alta prevalência de risco de desnutrição pela MAN, da redução da ingestão de alimentos, perda de apetite e baixo consumo de frutas verificados entre os idosos avaliados, sugere-se que a avaliação nutricional de pacientes idosos seja realizada rotineiramente na prática clínica, uma vez que esses indivíduos representam uma população vulnerável a distúrbios nutricionais. Unitermos: Estado Nutricional, Mini Avaliação, Idosos.

IP019 - INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA SECUNDÁRIA À RABDOMIÓLISE DESENCADEADA POR TRATAMENTO COM HIPOLIPEMIANTE

Instituição: Hospital Universitário Prof. Miguel Riet Corrêa Jr., Rio Grande - RS
Autores: Aranalde LCR, Muelbert M, Gonçalves CV, Oliveira RG.

Objetivos: Relatar o caso de um paciente que apresentou insuficiência renal aguda (IRA) secundária à uma rabdomiólise gerada por aumento na dosagem do hipolipemiante ciprofibrato utilizado no tratamento de dislipidemia. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo de caso realizado no período de março/abril de 2013, onde averiguou-se a história clínica e terapia nutricional do paciente.

Resultados: Paciente diabético há 12 anos, apresentando hiperlipidemia severa (TG= 449mg / dL), em tratamento com ciprofibrato 100 mg/ dia. Uma semana após aumento da dosagem do medicamento hipolipemiante para 300mg/ dia, o paciente apresentou sintomas de mialgia em membros superiores e inferiores, acompanhado de acidose metabólica (pH= 7,26). No momento da internação, o paciente apresentava níveis séricos de CK = 7000 U/L, creatinina = 7,5 mg/dl, ureia = 171 mg/dl, albumina = 3,8mg/dl. O paciente recebeu dieta para diabetes, hipolipídica, com padrão de 60g de proteína, sendo 1,1 g de proteína/ kg de peso atual. Conclusão: Paciente evolui com função renal favorável, com diminuição considerável dos níveis de creatinina, ureia e CK. Recebeu orientação de alta para controle de carboidratos refinados, gordura saturada, aumento do consumo de fibras e melhora na qualidade da alimentação. Unitermos: Rabdomiólise, Insuficiência Renal Aguda, Fibratos, Hipolipemiantes, Creatinofosfoquinase.

IP020 - USO DE SIMBIÓTICOS NA DOENÇA DE CROHN - RELATO DE CASO

Instituição: Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr., Rio Grande - RS
Autores: Aranalde LCR, Gonçalves CV, Muelbert M, Oliveira RG, Santos GKP.

Objetivos: Relatar o caso de um paciente com Doença de Crohn e discutir o tratamento nutricional, que tem por objetivo controlar a diarreia e melhorar o estado nutricional. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo de caso realizado no período de 07/03/12 à 28/03/12 de um paciente com Doença de Crohn diagnosticado há 28 anos. Averiguou-se toda a evolução clínica e nutricional do paciente. A dieta foi calculada contemplando suas necessidades energéticas e proteicas, foi isenta de fibras insolúveis e lactose, devido a intolerância da paciente. Foi oferecido um produto simbiótico composto por lactobacillus reuteri, goma guar parcialmente hidrolisada e inulina duas vezes ao dia por cinco dias a fim de favorecer a imunidade intestinal e controlar a diarreia. Resultados: O paciente internou apresentando anemia severa e hábito intestinal com fezes liquidas 3 vezes ao dia. Com o uso do produto simbiótico e controle dietético as fezes passaram para consistência pastosa após o quarto dia. Houve perda de 3,5 kg durante a internação, o qual pode ser explicado devido aos períodos de jejum para exames e procediemntos. A paciente recebeu alta hospitalar com Índice de Massa Corporal (IMC) de 17,9 kg/m2 e orientação de controle dietético pós-alta hospitalar. Conclusão: O uso de simbióticos na Doença de Crohn mostrou-se eficaz no controle da diarreia podendo ser um aliado no tratamento da doença. Unitermos: Doença de Crohn, Simbióticos, Diarreia.

IP021 - AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE SÓDIO EM REDES DE FAST FOOD SITUADOS EM GOIÂNIA

Instituição: Universidade Paulista - UNIP, Goiânia - GO
Autores: Oliveira DD, Oliveira JG, Paiva JCM, Passos XS.

Objetivos: Avaliar a quantidade de sódio presente em sanduíches de quatro redes de fast food situados na cidade de Goiânia. Materiais e Métodos: Foi realizada pesquisa observacional descritiva. A amostra contou com 62 sanduíches distribuídos em quatro marcas diferentes, sendo que cada marca foi representada por uma letra (A a D), para manter o sigilo. Resultados: Foi constatada variação de porcentagem de valor diário de 17 a 155%, e teores de 399 mg a 3.729 mg de sódio por sanduíche, ou seja, variação de 834,6%. A marca D foi a que apresentou a maior media e desvio padrão, consequentemente foi a marca que apresentou o sanduíche com o maior teor de sódio. A marca que apresentou o menor índice de sódio, correspondendo a um valor diário de 17%, foi o da marca B. Conclusão: Como a prática de ingestão alimentos do tipo fast food, é uma realidade distante de ser extinta, recomenda-se a escolha daqueles sanduíches que apresentem teor de sódio próximo ao limite inferior apresentado neste estudo. Unitermos: Avaliação, Sódio, Fast Food, Goiânia.

IP022 - MUDANÇAS ALIMENTARES EM FAMILIARES DE PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA BARIÁTRICA

Instituição: Faculdade de Ciências Médicas da Paraiba, João Pessoa - PB
Autores: Falcone HPA, Lima MA, Lisboa JWC, Campos DSMA.

Objetivos: Avaliar se houveram mudanças alimentares em familiares de pacientes submetidos à cirurgia bariátrica, avaliar os hábitos alimentares de familiares dos pacientes, identificar as alterações ocorridas no hábito alimentar, comparando-o no período pré e pós-cirúrgico, estimar o período de adesão ao novo padrão alimentar familiar e analisar se o comportamento alimentar auxiliou no tratamento dietético. Materiais e Métodos: Esta pesquisa caracterizou-se como um estudo do tipo transversal e quantitativo, descritivo quanto ao objetivo, de levantamento de dados segundo os procedimentos de coleta, constituindo-se em uma pesquisa de campo que teve o intuito de avaliar mudanças alimentares em familiares de pacientes submetidos à cirurgia bariátrica. O estudo foi realizado na cidade de João Pessoa-PB, no primeiro semestre do ano de 2012. A amostra foi constituída por 10 indivíduos submetidos à cirurgia bariátrica indicados pelo médico que realizou a cirurgia, sendo os participantes de ambos os sexos e diferentes idades. Também participaram 10 familiares destes indivíduos, correspondendo aos adultos que residem com o indivíduo que foi submetido à cirurgia, sendo os dados coletados na própria residência destes participantes. A amostra total foi de 20 pessoas. O presente estudo foi submetido à avaliação e aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da FCM-PB, sendo aprovado com protocolo de número 071/11. Resultados: Todos que tiverem apoio familiar conseguiram mudar totalmente sua alimentação e se adaptar ao novo estilo de vida, enquanto que os demais tentaram modificar sua alimentação no período inicial, porém relataram não conseguir seguir esta nova conduta dietética por muito tempo. A princípio, todos passaram por mudanças, e o tempo de adaptação também variou bastante entre eles, mas nos casos em que não houve alteração no ambiente familiar o tratamento se tornou mais difícil e os pacientes tiveram mais dificuldade. Quando questionados sobre a importância da família no apoio ao tratamento dietético, 30% dos participantes da pesquisa relataram não achar importante e necessário que a família tente seguir um padrão alimentar saudável. Estes indivíduos disseram que a família não deve se privar de consumir o que gosta só para ajudá-los a não sair da dieta. Enquanto que 70% dos participantes relataram ser essencial o apoio familiar, afirmando que "quando a família toda faz dieta, não tem em casa coisas gostosas para comer". Conclusão: Com base nos questionários aplicados, observou-se que todos que tiveram apoio familiar conseguiram mudar sua alimentação, enquanto que os demais tentaram modificar sua alimentação no período inicial, porém relataram não conseguir seguir a nova conduta dietética por muito tempo. No entanto, essa pesquisa comprova que o apoio dos familiares na adaptação pode facilitar o processo. Unitermos: Cirurgia Bariátrica, Família, Gastroplastia, Redução de Estômago, Obesidade.

IP023 - RAZÃO CINTURA/ESTATURA E OUTROS INDICADORES ANTROPOMÉTRICOS COMO PREDITORES DE RISCO PARA DOENÇAS CARDIOVASCULARES EM MULHERES

Instituição: Faculdade Santa Terezinha - CEST, São Luís - MA
Autores: Nogueira MS, Lacerda MSS.

Objetivos: Comparar a Relação Cintura/Estatura (RCEST) com a Circunferência da Cintura (CC) e Índice de Massa Corporal (IMC) na predição do risco coronariano em mulheres. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo retrospectivo, descritivo de corte transversal realizado através de prontuários de mulheres na faixa etária de 20 a 59 anos, atendidas no ambulatório de Nutrição de uma Clínica Escola em São Luís, MA, no período de janeiro de 2010 a janeiro de 2011. Foram incluídos os prontuários devidamente preenchidos com idade, peso, altura, medida da circunferência da cintura e Termo de Consentimento Livre Esclarecido assinados. Do universo de 945 prontuários incluindo homens e mulheres adultos e idosos, 253 foram utilizados para a determinação da amostra. As pacientes foram investigadas quanto ao índice de massa corporal, segundo limites estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS, 1998). A circunferência da cintura foi classificada de acordo com os pontos de corte da OMS que considera e" 80 cm risco elevado e e" 88 cm risco muito elevado. Para a classificação da RCEst, foi utilizado o ponto de corte proposto por Pitanga e Lessa (2006), com valor de 0,53. Resultados: Dos 253 prontuários analisados, a média de idade das mulheres estudadas foi de 41,09 anos. A média de peso apresentada foi de 69,8kg e altura 1,54m. Encontrou-se obesidade de graus I, II ou III em 43% da amostra, seguido de sobrepeso (33%), a média de IMC encontrada foi de 29,59kg/m². Verificando o risco coronariano elevado pela medida da CC, a amostra apresentou risco muito elevado para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares (65%). Para a RCEst encontrou-se média de 0,60 e risco coronariano elevado (RCE) em 77% da amostra. Conclusão: Observou-se que os diferentes indicadores de obesidade e de risco coronariano elevado (IMC, CC e RCEst) são fáceis de serem usados e apresentam poder preditor de doenças cardiovasculares. São necessários estudos longitudinais sobre indicadores antropométricos de obesidade e risco coronariano elevado na população brasileira para ressaltar evidências observadas nos estudos transversais existentes. Unitermos: Indicadores Antropométricos, Obesidade Abdominal, Risco Coronariano.

IP024 - AVALIAÇÃO DO ÍNDICE DE RESTO-INGESTÃO E SOBRAS EM UMA UNIDADE HOSPITALAR ONCOLÓGICA EM FORTALEZA - CEARÁ

Instituição: Hospital Haroldo Juaçaba, Fortaleza - CE
Autores: Sousa ALC, Santos SS, Nogueira RF, Nogueira PD, Régis BDLO, Matos LM.

Objetivos: Avaliar o percentual de restoingestão e sobras de uma unidade hospitalar oncológica em Fortaleza - Ceará. Comparar os dados obtidos com os índices propostos pela literatura. Materiais e Métodos: A coleta de dados foi realizada no Hospital Haroldo Juaçaba de Fortaleza, no estado do Ceará, de outubro de 2012 a março de 2013. Foi usado como instrumento o controle de produção de alimentos, sobra limpa e resto ingesta dos pacientes. Resultados: A partir da avaliação dos dados foram observados os seguintes resultados: média de resto ingesta: 3,09%; média de Sobra Limpa: 1,98% e uma média de produção de 75kg de alimento/dia. Conclusão: A partir dos resultados, observou-se um valor bem abaixo do estipulado na literatura que recomenda que o resto ingesta para população enferma esteja abaixo de 20% e o índice de sobra limpa abaixo de 3%. Esses resultados foram obtidos através do envolvimento a equipe que trabalha na produção dessas refeições e das estratégias usadas para estimular a ingestão alimentar do paciente oncológico. Unitermos: Não informado.

IP025 - PACIENTES SUBMETIDOS À QUIMIOTERAPIA: APLICAÇÃO DE AVALIAÇÃO SUBJETIVA GLOBAL - PRODUZIDA PELO PACIENTE

Instituição: Hospital dos Servidores do Estado de Pernambuco, Recife - PE
Autores: Lopes AFN, Silva LML, Oliveira AEA, Costa MDS, Santos ACS, Ferreira KVS.

Objetivos: Classificar o estado nutricional de pacientes oncológicos submetidos a quimioterapia ambulatorial através da aplicação da avaliação subjetiva global - produzida pelo paciente. Materiais e Métodos: Estudo transversal, realizado com pacientes acima de 20 anos, de ambos os sexos, atendidos durante a infusão de quimioterapia ambulatorial no Hospital dos Servidores do Estado de Pernambuco. Foi realizada Avaliação Subjetiva Global Produzida pelo Paciente (ASG-PPP), que foi criada por Ottery FD 1996, traduzida e adaptada para português por Gonzalez el al 2010, que consta informações de perda ponderal, alteração de ingesta alimentar, presença de sintomas, capacidade funcional, localização do tumor, estresse metabólico e exame físico. Através dessas informações pontuou-se o escore total, indicando o nível da intervenção nutricional, bem como a classificação do estado nutricional em Estágio A (bem nutrido ou anabólico), B (moderadamente desnutrido (DEP) ou suspeita de desnutrição) e C (gravemente desnutrido). As informações foram tabuladas e armazenadas no programa Excel versão 2007, para Windows. Resultados: Foram avaliados 41 indivíduos, no período de fevereiro a março de 2013, sendo 76% do sexo feminino e 24% masculino. Em relação a idade, 56% dos pacientes estavam abaixo de 65 anos. A localização do tumor foi variável, sendo mama (58,8%), seguido de próstata (19,5%), pulmão (10%), ovário (5%) e outros (6,7%). Segundo o questionário da ASG-PPP, a perda ponderal foi encontrada em 58,5% dos pacientes e a redução da ingesta alimentar em 80,5%. Em relação a alteração de apetite 17% dos pacientes, não relataram problemas para se alimentar. Daqueles que apresentavam, os sintomas mais frequentes foram, constipação (12%), perda de apetite e náusea (11%), digeusia (10%), xerostomia (8%), outros (16%). Quanto a capacidade funcional 82,9% dos pacientes apresentaram algum tipo de limitação, sendo que 46,3% conseguiam manter quase todas as atividades normais. Com relação ao exame físico 29,3% apresentaram déficit, sendo 14,6% leve, 12,2% moderado e 2,5% grave. A classificação total da ASG-PPP mostrou que 61% estavam bem nutridos, 36,5% moderadamente ou suspeita de DEP e 2,5% DEP grave. Conclusão: A ASG-PPP é uma ferramenta essencial para verificar o estado nutricional do paciente durante o tratamento oncológico, uma vez que normalmente a quimioterapia tem repercussão negativa no peso e na ingestão alimentar. Unitermos: Avaliação Subjetiva Global - Produzida Pelo Paciente, Oncologia, Estado Nutricional.

IP026 - CARDIOPATIA CONGÊNITA: REPERCUSSÃO SOBRE O ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS INTERNADAS EM UM HOSPITAL PÚBLICO DE REFERÊNCIA DA REGIÃO NORTE

Instituição: Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna, Belém - PA
Autores: Mendes ANL, Torres RS, Augusto EO.

Objetivos: Identificar a repercussão da cardiopatia congênita no estado nutricional de crianças internadas no Hospital de Clinicas Gaspar Vianna (FHCGV) na cidade de Belém - PA. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo transversal, descritivo, realizado no período de junho a julho de 2012. A amostra foi constituída por 15 crianças que estavam internadas nesse período na clinica pediátrica da FHCGV, na faixa etária de 7 meses a 6 anos, com diagnóstico clínico de cardiopatia congênita. Os dados foram coletados através dos prontuários dos pacientes e de protocolo de avaliação nutricional. A avaliação antropométrica da criança ocorreu por meio da aferição do peso e da estatura, o estado nutricional foi avaliado através das curvas de crescimento da OMS (2006) segundo peso para idade e estatura para idade entre os gêneros e as faixas etárias. Para tabulação dos dados utilizou-se o software Microsoft Office Excel. Resultados: Das crianças observadas 53,3% eram do gênero masculino, com média de idade de 35,4 meses, 46,6% eram de etnia branca e 46,6% parda, a síndrome de Down foi prevalente em 20% dos menores estudado. Quanto ao diagnóstico clínico, 26,4% foram internados devido a comunicação interatrial associada à comunicação interventricular, 20% apresentou tetralogia de Fallot, 13,3% Comunicação interatrial, 13,3% Defeito do septo atrioventricular, 6,6% Persistência do canal arterial e 6,6% Miocardiopatia. Quanto ao estado nutricional, observou-se: muito baixo/baixo peso para idade em 60% (46,6;13,4 respectivamente) das crianças. Na avaliação da estatura observou-se que 60% delas estava com muito baixa/baixa estatura para idade (40;20 respectivamente). A maioria das crianças (66,6%) era proveniente do interior do estado do Pará. Conclusão: As doenças cardíacas na infância propiciam alto risco para o desequilíbrio energético. O alto índice de déficit nutricional encontrado reafirma a importância da avaliação nutricional, para intervenção precoce, a fim de evitar mortalidade em crianças desnutridas. Esses achados podem conduzir na elaboração de estratégias que possibilitem melhor prognóstico para esses pacientes. Unitermos: Cardiopatia Congênita, Avaliação Nutricional, Estado Nutricional.

IP027 - AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE PACIENTES COM NEOPLASIA PULMONAR INTERNADOS EM UM HOSPITAL PÚBLICO DE FORTALEZA - CE

Instituição: Hospital Carlos Alberto Studart, Fortaleza - CE
Autores: Mesquita AU, Victor TR, Macêdo M, Oliveira AB, Carmo ZMS, Azevedo APC.

Objetivos: Avaliar o estado nutricional de pacientes com neoplasia pulmonar em um hospital público da cidade de Fortaleza. Materiais e Métodos: Tratou-se de um estudo observacional, quantitativo de desenho transversal. Foram estudados 24 pacientes entre 31 e 87 anos, das quais as variáveis foram agrupadas em quesitos de identificação, situação sócio - econômica avaliação de saúde e avaliação antropométrica. Resultados: O estudo foi constituído com uma amostra final de 24 pacientes portadores de neoplasia pulmonar, 62,5% do sexo feminino e 37,5% do sexo masculino. Em relação a escolaridade 41,7% eram analfabetos e que 50% eram fumantes. Destaca-se que 54,2% tinham como tipo histológico o adenocarcinoma e 41,7% faziam radioterapia como forma de tratamento. Quanto ao valor do IMC, 50% dos pacientes encontravam-se com desnutrição leve, apresentaram desnutrição moderada para adequação da CB com 41%. De acordo com a adequação da PCT, 38% estavam com o peso adequado. Conclusão: A avaliação do estudo demonstrou uma inadequação com relação ao perfil nutricional dos pacientes portadores de neoplasia pulmonar, podendo agravar ainda mais o seu quadro clinico. Considerando essencial o acompanhamento do profissional nutricionista, fazendo um trabalho em conjunto com a equipe multidisciplinar, traçando metas a fim de prevenir quaisquer que sejam as complicações. Unitermos: Antropometria, Neoplasia, Estado Nutricional.

IP028 - PERCENTUAL DE PERDA DE PESO COMPARADO COM ÍNDICE DE MASSA CORPÓREA COMO FATORES DE RISCO PARA DESNUTRIÇÃO EM PACIENTES COM CANCER DE CABEÇA E PESCOÇO EM TRATAMENTO ONCOLÓGICO

Instituição: Instituto de Tratamento e Diagnóstico Oncológico (IDTO), Recife - PE
Autores: Melo AMAB, Ponzi FKAX, Pereira SA, Silva VLC, Lima DMC.

Objetivos: Comparar o percentual de perda de peso (%PP) com o diagnóstico nutricional obtido pelo índice de massa corpórea (IMC) na avaliação do estado nutricional de pacientes oncológicos admitidos para tratamento oncológico no Instituto de diagnostico e tratamento oncológico (IDTO), Recife - PE. Materiais e Métodos: Para a obtenção dos dados foram consultados os prontuários dos pacientes admitidos para tratamento oncológica no IDTO durante o período de Março de 1997 a Março de 2009. Para obter o diagnostico nutricional foi analisado o IMC, com a classificação proposta pela Organização Mundial da Saúde (OMS), 1998: < 18,5kg/m², desnutrição; 18,5 - 24,9 kg/m², eutrofia e > 24,9 kg/m² sobrepeso ou obesidade. Para classificação do %PP, foram utilizados os pontos de corte propostos pela Associação Americana de Nutrição Parenteral e Enteral (ASPEN),1993. Para a determinação do peso corporal e estatura dos pacientes foi utilizada uma balança profissional digital antropométrica com estadiômetro BK-50FA com capacidade 150 Kg com divisão de 100g. Resultados: Foram avaliados 40 pacientes adultos de ambos os sexos, dentre os quais 72,5% do sexo masculino e 27,5% do sexo feminino. Com faixa etária mais prevalente entre 61 - 70 anos (39,5%), porém apresentando idade mínima 21 e idade máxima 80 anos. O IMC de maior prevalência foi para pacientes eutróficos (44,12%), sendo observado sobrepeso e obesidade em 47,6% e com algum grau de desnutrição 8,82% dos pacientes. Em contrapartida, 21,05% tinham história de perda de peso significativa, sendo que 58,24% destes pacientes encontravam-se eutróficos, com sobrepeso ou obesidade pela classificação do IMC. Conclusão: Neste trabalho, evidenciamos perda de peso significativa ou severa no grupo de pacientes que apresentaram previamente IMC satisfatório. A avaliação da perda de peso recente associada com o diagnóstico nutricional pelo IMC, parece ser mais sensível na detecção de risco nutricional, ou mesmo, um quadro de desnutrição aguda. Unitermos: Avaliação Nutricional, Pacientes Oncológicos, IMC, Perda de Peso.

IP029 - CONSUMO DE SUPLEMENTOS POR FREQUENTADORES DE ACADEMIAS DE GINÁSTICA NA GRANDE MARUÍPE, VITÓRIA - ES

Instituição: FCSES, Vitória - ES
Autores: Soares ACO, Paula DBP.

Objetivos: Avaliar os fatores relacionados ao consumo de suplementos por frequentadores de academias de ginástica na Grande Maruípe, Vitória, ES, verificar a variação do uso entre homens e mulheres; identificar quais suplementos são mais consumidos, apurar de onde parte a indicação do uso de suplementos e correlacionar o consumo de suplementos ao tipo de atividade física praticada. Materiais e Métodos: Pesquisa descritiva quantitativa; Método: transversal de base populacional por meio de coleta de dados primários. Critério de Inclusão: O critério utilizado para a escolha das academias participantes foi realizado através do processo de amostragem probabilística casual simples sem reposição, e envolveram as dez maiores academias da região, as cinco primeiras participaram da pesquisa; Amostra: 212 voluntários participantes; O instrumento de coleta de dados: questionário eletrônico, estruturado, não disfarçado composto de questões divididas em blocos, constando de questões fechadas e abertas e por uma anamnese alimentar. Resultados: Dentre os consumidores de suplementos a maioria é do sexo masculino, praticantes de musculação, o suplemento mais consumido é o whey protein, a maioria iniciou o uso sem indicação por nutricionistas ou médicos. No presente estudo não existiu o propósito de avaliar se o consumo de suplementos alimentares esportivos está ou não adequado. Conclusão: O consumo de suplementos na amostra analisada apresentou um percentual elevado, sem que a indicação tenha partido de profissional habilitado com objetivos de melhorar a performance e otimizar resultados da atividade física. O uso dos suplementos apresentou-se frequente e diversificado. Unitermos: Suplementos Alimentares, Atividade Física, Academias de Ginástica.

IP030 - ESTADO NUTRICIONAL DE PACIENTES SUBMETIDOS A TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA

Instituição: Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo - SP
Autores: Pereira A, Piovacari SMF, Ribeiro AAF, Tanaka M, Lucio F, Hamerschlak N.

Objetivos: Verificar a associação de desnutrição e obesidade com riscos de morbimortalidade em paciente submetidos a Transplante de Medula Óssea (TMO). Materiais e Métodos: Foram estudados 250 pacientes submetidos a TMO no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo no período de 2007 a 2012. Realizamos a classificação do estado nutricional dos pacientes através do Índice de Massa Corpórea (IMC) em kg/m2. Resultados: Foram encontrados 22% de pacientes com IMC normal; 37% de sobrepeso; 26% de desnutridos; e 15 % de obesos. A média de IMC mais baixa foi encontrada entre os pacientes submetidos ao TMO Haploidêntico, nas mulheres e nos pacientes com Talassemia, Síndrome da Imuniodeficiência Combinada Grave (SCID) e Imunodeficiência com Poliendocrinopatia e Enteropatia ligada ao X (IPEX). Conclusão: A associação de desnutrição e obesidade com riscos de morbimortalidade, é um fator que pode sofrer intervenções. Medidas de melhora do estado nutricional devem ser tomadas pela equipe multidisciplinar e avaliadas constantemente, visando uma redução dos riscos do paciente e aumento do sucesso do tratamento. Unitermos: Transplante de Medula Óssea, Estado Nutricional, IMC, Desnutrição, Obesidade.

IP031 - ELABORAÇÃO DE PROTOCOLOS DE ACOMPANHAMENTO NUTRICIONAL EM NEONATOLOGIA POR NÍVEIS ASSISTENCIAIS

Instituição: Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Porto Alegre - RS
Autores: Groth K, Florence KF, Fernandes D, Paludo J, Gobbato SS.

Objetivos: Elaborar protocolos de acompanhamento de terapia nutricional parenteral, enteral e via oral, separando-os em níveis assistenciais; padronizar a assistência nutricional em uma unidade de tratamento intensivo (UTI) e de cuidados intermediários (UCI) neonatal de um hospital terciário da cidade de Porto Alegre (RS) e comparar a produtividade desta unidade antes e após a implantação da nova metodologia. Materiais e Métodos: Foram elaborados dois protocolos de acompanhamento nutricional, um para pacientes com terapia enteral/parenteral e outro para pacientes com alimentação via oral. Determinaram-se dois níveis assistenciais para a UTI e dois para UCI, onde está estipulada a frequência do acompanhamento. Resultados: Comparando os resultados do segundo semestre do ano de 2011, onde usávamos a metodologia antiga, com os resultados do segundo semestre de 2012, onde já estávamos com a metodologia nova consolidada, observamos uma melhoria no indicador de produtividade da unidade, visto que em 2011 atendemos à 98,3% das demandas previstas e em 2012 100%. Conclusão: Através da utilização de protocolos de avaliação nutricional, observamos uma padronização no acompanhamento desses pacientes, o que permitiu a otimização dos atendimentos e uma melhoria na qualidade assistencial destas unidades (UTI e UCI). Unitermos: Assistência Nutricional, Neonato.

IP032 - AVALIAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS ORGANOLÉPTICAS DAS DIETAS OFERECIDAS POR PARTE DOS PACIENTES EM TRATAMENTO DE IODOTERAPIA

Instituição: Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo - SP
Autores: Salgado MLO, Cavalcanti MIBS, Piovacari SMF, Oliveira LHF, Laselva CR.

Objetivos: Avaliar as características organolépticas das dietas oferecidas por parte dos pacientes em tratamento com Iodo 131. Materiais e Métodos: Realizado no período de Agosto 2012 a Fevereiro, 2013, na unidade de tratamento com radioisótopos de um hospital geral de grande porte em São Paulo. Para a avaliação utilizou-se questionário com Escala Hedônica adaptada, com quesitos como aspecto dos alimentos, apresentação da bandeja, cor dos alimentos, odor e aroma, sabor e gosto, aceitação e temperatura, com critérios de bom, regular e ruim. O instrumento foi entregue pela enfermeira no final da internação. Resultados: Foram entregues 140 questionários, sendo que 68% (95) foram respondidos. Os resultados obtidos foram respectivamente: bom e regular para o aspecto dos alimentos 86%;11%, apresentação da bandeja 91%; 8%, cor dos alimentos 85%; 15%, odor e aroma 78%; 19%, gosto e sabor 75%; 23%, aceitação 71%; 26%, temperatura 77%; 18%. Com relação à avaliação ruim de cada quesito destacamos que 5% acharam à temperatura ruim e nos demais quesitos menos de 3%. Podemos destacar que estes pacientes recebem as refeições em embalagens descartáveis devido risco de contaminação pela radiação, onde estas são aquecidas e imediatamente distribuídas aos pacientes. Além disso, os efeitos colaterais deste tratamento frequentemente são a diminuição da salivação, alteração do paladar e gosto metálico na boca, interferindo na aceitação alimentar destes pacientes, mesmo assim tivemos 71% com respostas considerando boa a aceitação alimentar. Conclusão: A avaliação organoléptica realizada por estes pacientes foi boa, mas há uma preocupação com relação aos cuidados dietéticos dos mesmos, uma vez que apresentam restrições alimentares, efeitos colaterais, fatores psicológicos e emocionais envolvidos no tratamento. Faz-se necessário o esclarecimento de todas estas informações para que o paciente durante sua internação compreenda melhor o tratamento. Unitermos: Iodoterapia, Avaliação Organoléptica.

IP033 - CARACTERIZAÇÃO DE RISCO NUTRICIONAL EM PACIENTES ADULTOS INTERNADOS EM UM HOSPITAL DO INTERIOR DE SÃO PAULO

Instituição: Hospital Unimed de Limeira, Limeira - SP
Autores: Ross DM, Bucci ACLMA, Rodrigues RC.

Objetivos: Caracterização do risco Nutricional em pacientes internados em um hospital do interior paulista. Materiais e Métodos: O presente estudo foi feito através de um banco de dados composto por 2395 indivíduos de ambos os sexos, maiores de 18 anos, internados nas enfermarias I, II e UTI de um hospital do interior de São Paulo. Os dados foram coletados no período de janeiro a dezembro de 2011 e 2012 e os critérios de exclusão foram pacientes que estavam internados na maternidade e pediatria. A avaliação do estado nutricional dos pacientes foi realizada em até 48 horas da de internação hospitalar, e para tanto, utilizadas pela instituição de saúde as ferramentas Nutritional Risk Screening 2002 (NRS-2002) e a Avaliação Subjetiva Global (ASG). Os dados disponibilizados foram tabulados no programa Microsoft Office Excel 2007, e submetidos a tratamento estatístico por meio do software Stat versão 6.0. Os dados foram dispostos em tabelas e gráficos na forma numérica e percentual. Considerou-se diferença estatística quando p<0,05 (5%). Resultados: Dos 2395 participantes da pesquisa, 47% eram do sexo masculino e 53% do sexo feminino, a média de idade encontrada entre os pacientes foi de 59,0 ± 20,4 anos com um tempo médio de internação de 6,8 ± 4,2 dias. Foi identificado risco nutricional positivo em 892 pacientes (37%), sendo que dentre estes, 829 indivíduos (93%) estavam em desnutrição pela ASG. Nos pacientes submetidos à aplicação da ASG, 512 (57%) pacientes apresentaram desnutrição moderada e 317 (36%) desnutrição grave. A média de idade dos pacientes com risco nutricional positivo foi de 70,7 anos e do risco negativo foi 55,8 anos. Dentre as especialidades clínicas avaliadas, as mais observadas nos pacientes com risco nutricional positivo foram clínica médica (36%) e duas ou mais especialidade associadas (11%). Nos pacientes sem risco nutricional as especialidades que mais apareceram foi clínica médica (20%) e cirurgias (15%). Conclusão: A aplicação dessas duas ferramentas mostraram-se fundamentais à sistematização da assistência nutricional dos pacientes em risco neste hospital, ao direcionar a assistência através da estratificação por complexidade e intervenção nutricional baseados na gravidade da desnutrição, garantido a assistência nutricional adequada, e utilização racional dos recursos humanos e financeiros institucionais. Unitermos: Risco Nutricional, NRS 2002, Desnutrição Hospitalar, ASG

IP034 - CARACTERIZAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DE FUNCIONÁRIOS DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA DA CIDADE DO RECIFE - PE

Instituição: Universidade Federal de Pernambuco, Recife - PE
Autores: Ponzi FKAX, Cabral PC, Melo AMAB, Lemos MC, Lima CMR, Oliveira LAR.

Objetivos: Caracterizar o estado nutricional de funcionários lotados na área de saúde de uma universidade pública da cidade do Recife. Materiais e Métodos: Estudo do tipo corte transversal, avaliando funcionários de uma instituição de ensino superior de Recife-PE. O tamanho amostral foi de 268 indivíduos, sendo destes 135 do sexo masculino. Na avaliação nutricional foi considerado o Índice de Massa Corpórea (IMC). Para a determinação do peso corporal e estatura dos funcionários foi utilizada uma balança eletrônica digital da marca Plena, capacidade 150 Kg com divisão de 100g e um estadiômetro portátil (Ghrum Polar Manufacture, Suíça) aderido a uma parede sem rodapé, com extensão de 2.00m, com precisão de 1mm, respectivamente. Verificou-se o peso corporal e a altura dos indivíduos descalços, vestindo roupas leves. Tanto o peso quanto a altura foram mensurados segundo técnicas preconizadas por Lohman et al. em 1991 e serviram de base para o cálculo do IMC sendo que a classificação utilizada foi à proposta pela OMS em 1998. A construção do banco de dados e análise estatística foram realizadas nos programas Epi-info versão 6.04 e SPSS 12. Resultados: Verificou-se entre os funcionários uma média de idade de 43 anos, maioria do sexo masculino (50,4%). As mulheres apresentaram maior nível de escolaridade (p = 0,0000) e maior faixa etária (p = 0,0043) quando comparado aos homens. Isso demonstra uma situação favorável em termos de acesso à informação e ao consumo de macro e micronutrientes. Nos resultados verificou-se uma elevada prevalência de excesso de peso, aproximadamente 60%, dentre os quais cerca de 20% eram obesos, não sendo encontrado diferencial estatisticamente significante entre os sexos (p = 0,6564). Apenas 2 pessoas estavam abaixo do peso e, por isso, elas foram agrupadas junto às de peso normal. Foi percebido que a frequência de sobrepeso e obesidade foram bastante elevadas, seguindo a tendência da transição nutricional que tem ocorrido no Brasil e em Pernambuco, com o aumento da frequência de excesso de peso concomitante à diminuição da prevalência de desnutrição. Conclusão: Os resultados deste estudo demonstraram a necessidade de uma orientação e intervenção nutricional para esses funcionários através de um programa de reeducação alimentar, a fim de evitar distúrbios e comorbidades associadas, além da melhoria da qualidade de vida. Unitermos: Funcionários Universitários, Estado Nutricional, Índice de Massa Corporal.

IP035 - TRIAGEM NUTRICIONAL EM HOSPITAL ESPECIALIZADO EM CARDIOPNEUMOLOGIA

Instituição: Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo - SP
Autores: Vieira LP, Gomes TT, Costa HM.

Objetivos: Conhecer o perfil de risco nutricional de pacientes internados e ambulatoriais em hospital especializado em cardiopneumologia. Materiais e Métodos: Durante 1 mês, foi aplicada a ferramenta Nutritional Risk Screening (NRS-2002) nos pacientes internados, com permanência mínima de 48h de internação, e nos atendimentos de casos novos ambulatoriais, para adultos e idosos. Crianças e adolescentes foram triados pela ferramenta Strong Kids. Resultados: Foram triados 55% dos pacientes internados, que representou 338 adultos e idosos, média de idade 67 anos, e 21 crianças e adolescentes, média de idade 4 anos e 3 meses. Observou-se risco nutricional em 21% dos adultos e idosos. Desses, 86% tinham dados de peso e altura disponíveis, sendo 32% abaixo do peso e 34% acima do peso. Entre as crianças e adolescentes, observou-se 14% baixo risco, 38% médio risco e 48% alto risco. No ambulatório, 96% dos casos novos foram triados, num total de 188 adultos e idosos, com média idade de 59 anos, observando-se 7% de risco nutricional, 55% de obesidade, 25% sobrepeso, 17% eutrofia e 3% baixo peso. Apenas dos 3% dos obesos apresentaram risco nutricional. Foram atendidas 2 adolescentes, sendo 1 com baixo e outra com médio risco nutricional. De acordo com o nível de assistência, 66% dos pacientes internados sem risco foram considerados terciários pela presença de algum fator de risco nutricional associado (obesidade, insuficiência cardíaca, renal ou diabetes descompensados, entre outros) e no ambulatório 87%. Conclusão: Embora a amostra dos pacientes internados em um hospital especializado em cardiopneumologia seja parcial, deve-se atentar para outros fatores de risco nutricional não identificados na triagem, mas que merecem atenção especial no atendimento. Em pacientes ambulatoriais, a ferramenta não se mostrou efetiva no direcionamento de ações, especialmente no tratamento da obesidade. Unitermos: Triagem Nutricional, Risco Nutricional, Estado Nutricional.

IP036 - CUSTO DE DIETAS ENTERAIS PEDIÁTRICAS SISTEMA ABERTO X SISTEMA FECHADO

Instituição: Instituto da Criança/ HCFMUSP, São Paulo - SP
Autores: Gandolfo AS, Silva APA, Orlando PR.

Objetivos: Comparar custo de dieta enteral pediátrica no sistema aberto e sistema fechado. Materiais e Métodos: Foram analisados os custos de três tipos de dietas enterais pediátricas. Sistema aberto: dieta polimérica completa hipercalórica com sacarose sem fibra (pó) e dieta polimérica completa hipercalórica sem sacarose com fibra (líquido) e no sistema fechado: dieta polimérica completa hipercalórica sem sacarose com fibra. Os custos das dietas foram calculados por litro, incluindo gastos com pessoal (preparo, envase, higienização e distribuição da dieta), água, energia elétrica, telefone, equipo bomba, frasco, tipo de dieta e análise microbiológica. Resultados: No sistema aberto a dieta em pó apresenta menor custo (R$ 42,35 /litro) quando comparado com dieta líquida (R$ 91,19/litro) e com a dieta no sistema fechado (R$ 64,36/litro). A dieta no sistema fechado tem menor custo comparado com dieta líquida no sistema aberto. Conclusão: Em relação a custo, o paciente que necessita de dieta polimérica completa hipercalórica com sacarose sem fibra, é mais vantajoso utilizar a dieta (pó) no sistema aberto e o paciente que necessita de dieta polimérica completa hipercalórica sem sacarose com fibra é mais vantajoso usar a dieta no sistema fechado. Unitermos: Custo, Análise de Custo, Dieta.

IP037 - AVALIAÇÃO NUTRICIONAL E CLÍNICA DE PACIENTES COM DOENÇA HEPÁTICA GORDUROSA NÃO ALCOÓLICA ATENDIDOS NO AMBULATÓRIO DE NUTRIÇÃO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES, NATAL - RN

Instituição: Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) - UFM, Natal - RN
Autores: Costa KC, Machado CM, Bezerra VLS, Araújo CRB.

Objetivos: Avaliar o estado nutricional, o risco de complicações metabólicas associadas à obesidade e a presença de comorbidades em pacientes com doença hepática gordurosa não-alcoólica (DHGNA) no ambulatório de nutrição de um hospital universitário em Natal - RN. Materiais e Métodos: Estudo observacional retrospectivo, realizado entre fevereiro de 2011 e julho de 2012 em um ambulatório de Nutrição Clínica de um hospital universitário em Natal-RN. Foram utilizados os dados pessoais, clínicos e nutricionais disponíveis nas fichas de acompanhamento nutricional. O estado nutricional foi avaliado pelo Índice de Massa Corporal (IMC), calculado pelo peso dividido pela altura ao quadrado. Para classificação do IMC foram utilizadas as classificações propostas pela OMS (1995) para adultos e por Lipschitz (1994) para idosos. O risco de complicações metabólicas associadas à obesidade foi determinado de acordo com o perímetro abdominal, o qual foi aferido no ponto médio entre a última costela e a crista ilíaca e os pontos de corte foram definidos pela ABESO (2009). Resultados: Foram avaliados 46 pacientes, com idade média de 48,2 ± 10,2 anos, dos quais 87,0% eram adultos e 13,0% idosos. Quanto ao gênero, 80,9% eram do sexo feminino. Observou-se que 23,9% dos indivíduos avaliados referiram prática regular de atividade física. O IMC médio da amostra foi de 34,6 ± 6,5 Kg/m². Entre os adultos avaliados, 2,5% eram eutróficos, 15,0% estavam com sobrepeso e 82,5% apresentavam algum grau de obesidade. Já entre os idosos, 83,3% apresentavam excesso de peso e 16,7% estavam com magreza. Entre as mulheres avaliadas, 100% apresentaram risco aumentado substancialmente para complicações metabólicas associadas à obesidade de acordo com o perímetro abdominal, cuja média foi de 117,8 ± 11,0 cm. Entre os homens, 50,0% apresentaram risco aumentado substancialmente e 33,3%, risco aumentado, sendo a média para o gênero masculino de 104,1 ± 16,0 cm. Em relação às comorbidades, observou-se que 71,7% dos pacientes apresentavam hipertensão arterial sistêmica (HAS), 54,3% dislipidemia, 50,0% diabetes mellitus, 23,9% cardiopatia e 15,2% tireoideopatia. Conclusão: Verificou-se que a maioria dos indivíduos com DHGNA avaliados, apresentou obesidade e excesso de peso, além de risco metabólico substancialmente aumentado para doenças associadas à obesidade. Quanto às comorbidades, observou-se grande prevalência de HAS, dislipidemia e diabetes mellitus, sendo essas doenças intrinsicamente relacionadas com a fisiopatologia da DHGNA. Unitermos: Doença Hepática Gordurosa Não-Alcoólica, Estado Nutricional, Perímetro Abdominal, Comorbidades.

IP038 - AVALIAÇÃO DA REDUÇÃO DE INDICADORES ANTROPOMÉTRICOS EM PACIENTES SUBMETIDOS A CIRURGIA BARIÁTRICA POR BYPASS GÁSTRICO EM Y DE ROUX NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES, NATAL - RN

Instituição: Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) - UFRN, Natal - RN
Autores: Costa KC, Machado CM, Lima MFS, Araújo CRB.

Objetivos: Avaliar o percentual de perda de peso e de perda de excesso de peso, além da redução do IMC em pacientes submetidos a cirurgia bariátrica por Bypass Gástrico em Y de Roux, no Hospital Universitário Onofre Lopes, Natal-RN. Materiais e Métodos: Foi realizado um estudo do tipo observacional e retrospectivo, com levantamento das informações pessoais e nutricionais nas fichas de atendimento nutricional de pacientes submetidos a cirurgia bariátrica por Bypass Gástrico em Y de Roux, no Hospital Universitário Onofre Lopes, Natal-RN. Foi utilizado o Índice de Massa Corporal (IMC), calculado pelo peso dividido pela altura ao quadrado, usando as classificações do IMC propostas pela OMS (1995) para adultos. Foram avaliadas as médias percentuais de perda de peso (%PP) e de perda de excesso de peso (%PEP) nos intervalos de 15, 30 e 60 dias após o procedimento cirúrgico. Resultados: Foram avaliados 32 pacientes, a maioria do sexo feminino (85,7%). A idade média foi de 37,6 ± 10,9 anos. O peso médio pré-operatório foi de 118,9 ± 28,8 Kg, com IMC inicial médio de 47,2 ± 9,2Kg/m². Entre os indivíduos avaliados, 75% apresentavam obesidade grau 3 antes da cirurgia. Após os 15 primeiros dias, o %PP foi de 8% e o %PEP foi de 20%. Com 30 dias de pós-operatório, o %PP foi de 11% e o %PEP foi de 27%. Transcorridos 60 dias da cirurgia bariátrica, o %PP correspondeu a 17,6% e o %PEP a 36,3%. Em relação ao IMC, com o passar dos primeiros 30 dias da cirurgia, 20,8% dos indivíduos obtiveram redução do IMC, saindo da obesidade grau 3. Após os 60 dias, o percentual de pacientes que obtiveram o mesmo êxito foi de 29,2%. Ao final do período estudado, menos da metade (48,3%) dos avaliados estava com obesidade grau 3, 13,8% com obesidade grau 2, 24,1% com obesidade grau 1 e 13,8% com sobrepeso. Conclusão: Evidenciou-se que a cirurgia bariátrica foi eficaz no tratamento da obesidade mórbida a curto prazo, pois houve uma redução significativa dos pacientes classificados com obesidade grau 3. Além disso, foi verificado um aumento gradativo no %PP e %PEP. Porém, é necessário pacientes e profissionais estarem atentos, pois os hábitos alimentares são a chave para o sucesso no tratamento a longo prazo. Unitermos: Cirurgia Bariátrica, Percentual de Perda de Peso, Percentual de Perda de Excesso de Peso, IMC.

IP039 - EVOLUÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DE PACIENTES PEDIÁTRICOS PORTADORES DE DOENÇA CARDÍACA CONGÊNITA SUBMETIDOS À CIRURGIA CORRETIVA OU PALIATIVA

Instituição: Universidade do Sul de Santa Catarina - Cnpq, Palhoça - SC
Autores: Lufchitz MHM, Silva AA.

Objetivos: Pacientes pediátricos cardiopatas apresentam antes e/ou após cirurgia dificuldades para se alimentar, por consequência podem não alcançar recomendação de energia, nutrientes e apresentar distúrbios nutricionais. O objetivo do trabalho foi avaliar a evolução nutricional de pacientes com cardiopatia congênita em hospital público de Florianópolis-SC, submetidos à cirurgia corretiva ou paliativa. Materiais e Métodos: Estudo de caráter prospectivo com crianças de 0 a 24 meses internadas na unidade de cardiologia após a realização de cirurgia cardíaca corretiva ou paliativa, entre agosto de 2012 a abril de 2013. Foram obtidos dados sócio-demográficos, antropométricos e sobre consumo dietético com autorização do responsável. Os indicadores antropométricos avaliados foram Z escore de Peso para Idade (P/I), Peso para Comprimento (P/E), Estatura para Idade (E/I), os valores críticos e classificações adotados foram os propostos pela OMS (2006). A partir das equações sugeridas pela DRI (IOM, 2002) e ASPEN (2002) foi calculada a necessidade energética e proteica, respectivamente e à necessidade energética foi acrescido o fator corretivo de 1,1 a 1,3. A análise de inadequação do consumo de energia e proteínas adotada foi a proposta por Murphy et al. (2002). A avaliação do estado nutricional e da ingestão alimentar foi realizada em dois momentos: até 72 horas após a internação (T1) e na alta (T2). Resultados: A amostra constitui-se de 9 pacientes, sendo 55,5 (n=5) do gênero masculino, 66,6% (n=6) eram oriundos de família de baixa renda e 33,3% (n=3) apresentaram baixo peso ao nascimento. O tempo médio de internação foi de 10 dias, o diagnóstico mais frequente foi de cardiopatia do tipo acianogênica 55,55% (n=5) e 100% (n=9) utilizaram diuréticos durante a internação hospitalar. Nos dois momentos avaliados (T1 e T2) 88,9% (n=8) dos pacientes foram classificados como desnutridos e 11,1% (n=1) como eutróficos. As vias de administração da dieta prescritas com maior frequência foram oral associada à enteral e a enteral. No T1 a avaliação da inadequação de consumo de energia e proteínas foi de 55,5% (n=5) e 66,6% (n=6), respectivamente. De um total de 7 pacientes avaliados no T2, observou-se inadequação da ingestão de energia e proteína em apenas14,29% (n=1) da amostra. Conclusão: O quadro de desnutrição não foi revertido durante o período de internação hospitalar. O baixo peso ao nascer, a complexidade da doença cardíaca, o procedimento cirúrgico e uso de diuréticos são fatores que dificultam a recuperação rápida do estado nutricional. Para reverter o quadro de desnutrição observado na população estudada sugere-se o acompanhamento nutricional ambulatorial. Unitermos: Avaliação Nutricional, Cardiopatia, Pediatria.

IP040 - RESULTADOS INICIAIS DO TRATAMENTO CIRÚRGICO DA OBESIDADE MÓRBIDA NO CENTRO MULTIPROFISSIONAL DA UNIMED VALE DO CAÍ

Instituição: Unimed Vale do Caí, Montenegro - RS
Autores: Oliveira CK.

Objetivos: A obesidade destaca-se como uma das doenças de mais elevada prevalência em todo o mundo e já é considerada um problema de saúde pública, provocando sérias consequências sociais, físicas e psicológicas. Neste sentido, o objetivo desse estudo é descrever os resultados iniciais de pacientes submetidos ao tratamento cirúrgico da obesidade mórbida no centro multiprofissional da Unimed Vale do Caí. Materiais e Métodos: Foram analisados os resultados dos 20 primeiros pacientes submetidos à cirurgia bariátrica no Centro Multiprofissional da Obesidade Mórbida da Unimed Vale do Caí, através da técnica cirúrgica do Bypass gástrico com reconstrução em Y-de-Roux, armazenados em banco de dados prospectivo desde o início de suas atividades, em janeiro de 2012. As principais variáveis em estudo foram sexo, idade, índice de massa corporal (IMC), peso, circunferência abdominal, percentual da perda do excesso de peso inicial, uso de medicamentos no pré e no pós-operatório, presença de doenças pré-existentes bem como sua melhora no seguimento pós-operatório e mortalidade. Os dados foram verificados desde o período pré-operatório, quando os pacientes iniciaram seu tratamento com a equipe multiprofissional e mensalmente após a cirurgia até o sexto mês de pós-operatório. Resultados: A maioria da amostra estudada foi do sexo feminino, com 17 (85%) pacientes. A idade variou de 22 a 57 anos, com média de idade de 38,25 anos, sendo a faixa etária predominante de 31 a 40 anos (45%). O IMC inicial variou de 38,6Kg/m² a 58,51Kg/m², tendo como média 46,49Kg/m², esta diminuiu para 31,65Kg/m² em seis meses de pós-operatório. Neste mesmo período houve uma redução média de peso de 40,16kg, o peso inicial variou de 93,30kg a 165,00kg e teve como média 125,35kg, a qual reduziu para 85,19kg. A média da circunferência abdominal foi de 121 cm no início do tratamento e diminuiu para 95 cm ao final de seis meses. A perda de peso média, expressa em percentual da perda do excesso de peso inicial, em seis meses foi de 70,54%, variando de 34,45% a 128,68%. Houve avanço importante na melhora ou resolução das principais doenças associadas, como a hipertensão e o diabetes mellitus, e na diminuição do uso de medicamentos. A mortalidade operatória foi de 0%. Conclusão: Os resultados encontrados neste estudo, apesar de iniciais, demonstram a segurança do procedimento, os benefícios ao perfil nutricional em relação a melhora de parâmetros antropométricos como peso, IMC e circunferência abdominal bem como resultados excelentes em termos de melhora das doenças associadas em pacientes submetidos ao tratamento cirúrgico e acompanhados por uma equipe multiprofissional. Unitermos: Obesidade Mórbida, Cirurgia Bariátrica, Centro Multiprofissional, Gastroplastia em Y-de-Roux.

IP041 - ESTUDO DE CASO: TERAPIA NUTRICIONAL EM PACIENTE IDOSO DESNUTRIDO PARA CICATRIZAÇÃO DAS ÚLCERAS POR PRESSÃO

Instituição: Hospital Geral do Exército de Fortaleza, Fortaleza - CE
Autores: Normando PLV, Montenegro AD, Gonçalvez APA, Mota BSR, Castro FCM, Gomes MMC.

Objetivos: Corrigir as deficiências nutricionais, minimizar a perda de peso e recuperar o estado nutricional, fornecendo um aporte nutricional que favoreça a cicatrização das úlceras por pressão do paciente em estudo. Materiais e Métodos: Estudo realizado em Hospital no Estado de Fortaleza, CE, durante atividades da disciplina de estágio supervisionado da Universidade de Fortaleza, UNIFOR. Resultados: Conforme os parâmetros de avaliação nutricional observados, o paciente encontra-se em risco nutricional, pois além de ser idoso, apresenta desnutrição leve. Durante o decorrer da disciplina, foram feitas intervenções nutricionais para tentar melhorar o prognóstico do paciente e foi observado melhora da cicatrização de suas lesões, localizadas em região sacral e trocanteres de membro inferior direito. Conclusão: A terapia nutricional planejada deve ser elaborada de forma coerente com a patologia em questão, pois assim é possível visualizar a melhora clínica do paciente. Unitermos: Estado Nutricional, Terapia Nutricional, Cicatrização de Úlceras por Pressão.

IP042 - INTER-RELAÇÃO ENTRE INFECÇÃO POR HELICOBACTER PYLORI E ESTADO NUTRICIONAL EM USUÁRIOS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

Instituição: Universidade de São Paulo, São Paulo - SP
Autores: Rocha DC, Carioca AAF, Sampaio HAC, Lima GP, Oliveira TR, Herculano Júnior JRL.

Objetivos: A infecção pelo Helicobacter pylori acomete mais da metade da população mundial, sendo sua prevalência em adultos, no Brasil, de 82%. Pesquisas apontam que a infecção por Helicobacter pylori pode influenciar o peso corporal, mas há ainda muita controvérsia. Assim, o objetivo deste estudo é comparar o estado nutricional de pacientes com e sem Helicobacter pylori. Materiais e Métodos: O estudo é do tipo transversal, de abordagem quantitativa e comparativa. A amostra foi constituída por 105 pacientes atendidos pelo Sistema Único de Saúde e que buscaram o Serviço de Endoscopia de um hospital de Fortaleza para realização de endoscopia digestiva alta, no período de julho de 2012 a abril de 2013. Foram excluídos idosos, crianças, pacientes portadores de neoplasia gástrica, além das pessoas que faziam uso de medicação à base de inibidor de bomba de prótons. Aplicou-se o teste da urease para verificação de presença ou ausência do microorganismo. O índice de massa corporal - IMC (kg/m2) dos pacientes foi determinado mediante coleta de dados de peso e altura. A partir do IMC o estado nutricional dos participantes foi categorizado segundo a WHO. Análise estatística através do Qui-quadrado foi efetuada para investigação da associação entre excesso ponderal e presença de Helicobacter pylori, com p < 0,05 como nível de significância. Resultados: O grupo estudado apresentou uma idade média de 40,38±11,78 anos. A renda mensal média encontrada foi de 2,28±1,82 salários mínimos. Dentre os pacientes, 45 (42,86%) tinham Helicobacter pylori. Considerando a distribuição segundo IMC dos pacientes com e sem Helicobacter pylori, respectivamente, 2,22% e 3,33% apresentaram magreza; 24,44% e 33,33% eutrofia; 40% e 36,67% sobrepeso; 33,33% e 26,67% obesidade. Considerando excesso ponderal (sobrepeso e obesidade) não houve diferença entre os grupos (p = 0,279). Conclusão: Não houve associação entre estado nutricional e infecção pelo Helicobacter pylori no grupo estudado, mas há necessidade de maior amostra para conclusões mais definitivas. Unitermos: Helicobacter Pylori, Estado Nutricional, SUS.

IP043 - ANÁLISE DO USO DE DIETAS DA MODA POR INDIVÍDUOS COM EXCESSO DE PESO

Instituição: Universidade Paulista, Campus Brasília, Brasilia - DF
Autores: Araújo LMP, Fortes RC.

Objetivos: Analisar os resultados obtidos após o uso de dietas da moda por indivíduos com excesso de peso. Materiais e Métodos: Trata-se de uma pesquisa transversal descritiva realizada em uma academia localizada em São Sebastião-DF. A amostra foi composta por 45 participantes com excesso de peso, 73% do sexo feminino e 27% do sexo masculino com idade entre 20 e 59 anos. Todos os recrutados foram avaliados por meio dos valores antropométricos pregressos arquivados na instituição, seguido da aplicação do questionário estruturado. Utilizou-se, para análise de dados, o programa Microsoft® Office Excel 2007. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos da Universidade Paulista, Campus Indianópolis - SP. Resultados: Após a análise dos valores antropométricos e das respostas do questionário, observou-se grande influência das dietas populares, principalmente ada sopa e a da lua, nos hábitos alimentares dos participantes e resultados negativos em relação à perda de peso. Conclusão: Os resultados sugerem os indivíduos não possuem conhecimento adequado sobre alimentação equilibrada e que o uso de dietas da moda para perder peso não exerce benefícios positivos. Unitermos: Obesidade, Sobrepeso, Dietas, Perda se Peso, Mídia.

IP044 - INCIDÊNCIA DE DESNUTRIÇÃO NA ENFERMARIA DE GASTROENTEROLOGIA CIRÚRGICA EM HOSPITAL PÚBLICO DE SÃO PAULO

Instituição: Hospital São Paulo - HSP, São Paulo - SP
Autores: Freitas MMT, Chen MT, Cukier C, Fujimoto EH, Simões AMGS, Filho GJL.

Objetivos: Analisar a incidência de desnutrição hospitalar em câncer em pacientes cirúrgicos na enfermaria de gastroenterologia cirúrgica em Hospital Público de São Paulo. Avaliando o grau de desnutrição em pacientes com câncer e identificando as diferenças do grau de desnutrição de acordo com a localização do câncer. Materiais e Métodos: Realizou-se um estudo retrospectivo durante o período de novembro de 2009 a julho de 2011. Foram avaliados 138 pacientes, dos quais 98 tinham diagnóstico de câncer em programação cirúrgica e 40 outras patologias. Os participantes foram escolhidos aleatoriamente, de ambos os sexos, sem restrição de idade. Como critério de inclusão serem pacientes submetidos à internação na enfermaria de Gastroenterologia Cirúrgica, neste período. Foram excluídos os pacientes que internaram em situações de emergência cirúrgica, encaminhados diretamente ao centro cirúrgico, não sendo possível avaliá-los. Os pacientes foram submetidos à avaliação nutricional objetiva. Sendo a avaliação do estado nutricional realizada através da análise antropométrica com o preenchimento da ficha de coleta de dados. Determinando o estado nutricional, através da Circunferência do Braço (CB), Dobra Cutânea Triciptal (DCT) e Circunferência Muscular do Braço (CMB). Classificados segundo o Escore de Avaliação Nutricional. Resultados: Foram internados neste período 1047 pacientes. Destes, 138 pacientes foram avaliados de forma objetiva, sendo sua maioria do sexo masculino (51,4%), na faixa etária de 60-90 anos (51,5%). Apresentavam diagnóstico de câncer 71% dos pacientes e 69% dos pacientes tinham desnutrição. Com predominância de diagnóstico de câncer de cólon e reto (29,7%), esôfago e estômago (19,6%), pâncreas e fígado (21,7%) e outras patologias (29,0%). O câncer de esôfago e estômago apresentou maior incidência de desnutrição 74,1%, sendo 37,1% de Desnutrição Proteica Energética (DPE) moderada e 7,4% de DPE grave. Seguido pelo câncer de cólon e reto 63,4% de desnutrição, sendo 29,3% com DPE leve e 36,6% dos pacientes eram eutróficos. Demonstrando que houve diferença no que se refere à localização do câncer no trato gastrointestinal e a gravidade da Desnutrição Proteica Energética. Conclusão: Com base nos dados do diagnóstico nutricional encontrados no período, foi observado que a prevalência foi do sexo masculino e da faixa etária de idosos. O paciente cirúrgico, com câncer, tem alta incidência de desnutrição com destaque para câncer de esôfago e estômago. O diagnóstico nutricional precoce pode inferir em intervenção nutricional favorecendo a evolução clínica do paciente cirúrgico. Unitermos: Diagnóstico Nutricional, Desnutrição, Câncer.

IP045 - EVOLUÇÃO NUTRICIONAL DE PACIENTES EM USO DE TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL

Instituição: Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe, Aracaju - SE
Autores: Melo TTR, Almeida RR, Souza MFC, Araujo AM, Lins SD, Lacerdas DC.

Objetivos: Avaliar a evolução nutricional de pacientes críticos que fizeram uso exclusivo de Terapia Nutricional Enteral (TNE). Materiais e Métodos: Estudo transversal e descritivo, realizado em dois hospitais públicos da cidade de Aracaju, Sergipe, Brasil. Os pacientes foram avaliados em dois momentos: no início e ao final do uso da TNE, tendo sido acompanhados em média durante 28 dias. A classificação do estado nutricional foi feita a partir do IMC e das circunferências do braço (CB) e panturrilha (CP). O peso foi estimado por meio da CB e da altura do joelho, e a estatura pela altura do joelho. Para avaliar a adequação calórica da TNE foram calculadas as necessidades energéticas estimadas, e estas foram comparadas com a média de valores energéticos prescritos durante o uso da terapia. Resultados: A amostra foi composta por 30 pacientes com média de idade de 46,96 ± 18,46 anos, sendo 54,8% do gênero masculino. Os diagnósticos mais frequentes foram o Traumatismo Crânio-Encefálico (35,5%) e o Acidente Vascular Encefálico (29,0%). Na primeira avaliação o peso médio da amostra foi 55,96 ± 15,96 kg e a média de IMC 18,21 ± 4,69 Kg/m2 (Baixo Peso). Os valores médios iniciais de CB foram 25,45 ± 4,73 cm (< p5) e da CP foram 29,46 ± 5,11 cm (desnutrição). De acordo com a segunda avaliação o peso médio da amostra foi 54,89 ± 14,36 kg e a média de IMC 18,12 ± 3,93 kg/m2 (Baixo Peso). Os valores médios de CB foram 25,64 ± 3,88 cm (< p5) e da CP 28,87 ± 4,93 cm (desnutrição). Portanto, no primeiro momento da avaliação foi observado que de acordo com os valores médios de IMC, CB e CP, os pacientes encontravam-se desnutridos, permanecendo nesta condição nutricional na segunda avaliação. O estudo mostrou que a TNE alcançou apenas 76,2% das necessidades energéticas totais dos pacientes na avaliação inicial, evoluindo para 83,5% na avaliação final. Conclusão: O estudo demonstrou que os pacientes não tiveram suas necessidades energéticas totalmente supridas, sendo este, provavelmente, um dos principais motivos da manutenção da desnutrição observada na amostra estudada. Unitermos: Terapia Nutricional Enteral, Evolução Nutricional, Pacientes Críticos, Avaliação Nutricional.

IP046 - INCIDÊNCIA DE COMPLICAÇÕES DE TERAPIA NUTRICIONAL EM PACIENTES INTERNADOS EM UM HOSPITAL PUBLICO DE CUIABÁ

Instituição: Hospital Universitário Julio Muller, Cuiabá - MT
Autores: Souza M, Feres NH, Lima TR, Avila E, Duarte CR.

Objetivos: Avaliar a incidência de complicações gastrointestinais em pacientes com terapia nutricional, internados em uma unidade de terapia intensiva de um hospital público em Cuiabá - MT. Materiais e Métodos: O estudo foi realizado em um Hospital Universitário, vinculado a Universidade Federal de Mato Grosso, situado em Cuiabá e que atende pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Para a elegibilidade da amostra foram obedecidos os seguintes critérios: Pacientes com idade superior a 19 anos e 11 meses; de ambos os sexos; Pacientes internados em UTI entre junho de 2012 a janeiro de 2013; Pacientes que receberam Terapia Nutricional Enteral (TNE) exclusiva por mais de 48hs;Pacientes que não apresentem doença em estado terminal. Foram excluídos do estudo: Os pacientes que receberem dieta parenteral e/ou oral concomitantes. Foram consideradas as complicações mais frequentes citada na literatura, bem como os eventos que as caracterizam: distensão abdominal, constipação e diarreia. Ao termino da coleta, os dados obtidos foram inseridos no Statistical Package or Social Science (SPSS) versão 21.0 for Windows. Resultados: Foram avaliados 33 pacientes adultos internados em UTI de um hospital universitário de Cuiabá que foram submetidos à terapia nutricional enteral exclusiva (TNE), no período de junho de 2012 a janeiro de 2013. Desses, 33,3% (n-11) foram do sexo feminino e 66,6% do sexo masculino (n-22), sendo a idade média de 57 anos e 60 anos, respectivamente. Ao avaliarmos o estado nutricional através da ASG, observamos que 81,9% dos pacientes internados apresentavam desnutrição grave (ASG-C) e apenas 18,1% tinham desnutrição moderada ou risco nutricional (ASG- B), e nenhum paciente classificado sem risco nutricional ou de eutrofia. 78,7% (26) estavam sob sedação e com suporte ventilatório invasivo, ou seja, dependentes da ventilação mecânica (VM). O uso de sonda nasoenteral foi predominante no estudo (79,3%). Do total dos pacientes avaliados (n=33) no estudo 27,8% apresentaram refluxo, 57,6% constipação, 60,6% distensão abdominal e 33,3% diarreia. Conclusão: Podemos concluir que os pacientes com TNE, internados em unidade de terapia intensiva; 2/3 eram dependentes da ventilação mecânica; Elevado índice de complicações gastrointestinais, sendo a distensão abdominal e constipação intestinal os achados mais prevalentes; O uso de dietas industrializadas assim como administração por bomba de infusão, não reduziu o número de complicações. Unitermos: Desnutrição, Pacientes Críticos, Avaliação Nutricional, Complicação em TNE.

IP047 - ÍNDICE DE MASSA CORPORAL SUPERESTIMA O ESTADO NUTRICIONAL DE PACIENTES CIRÚRGICOS

Instituição: Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão - SE
Autores: Lins SD, Araujo AM, Costa ML, Oliveira CAO, Filha EOS, Pereira LC.

Objetivos: Comparar o Índice de Massa Corporal e a medida de Circunferência do Braço com métodos subjetivos na estimativa do estado nutricional de pacientes em pré-operatório de cirurgias eletivas. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo transversal com uma amostra de pacientes em pré-operatório de cirurgias eletivas. Foi realizada a avaliação antropométrica (peso, altura, circunferência do braço) e as avaliações subjetivas (Avaliação Subjetiva Global (ASG) e Mini Avaliação Nutricional (MAN) de acordo com a faixa etária específica). As avaliações foram realizadas em até 48 horas após a admissão. Resultados: Foram avaliados 67 pacientes com média de idade 57±17 anos, sendo 59,7% do gênero feminino. De acordo com o Índice de Massa Corporal, 49,3% dos pacientes estavam eutróficos, 19,4% com baixo peso, 25,4% com sobrepeso e 6% com obesidade. De acordo com a ASG e a MAN o percentual de pacientes em risco nutricional foi 64,2%. Em relação à média de circunferência do braço, o valor médio foi 27 cm, estando no percentil 15 que indica estar abaixo da média do estado de gordura corporal. A média de adequação da CB demonstrou que 55,3% dos pacientes encontravam-se desnutridos no período pré-operatório. Conclusão: De acordo com os resultados apresentados o IMC superestimou o estado nutricional dos indivíduos da amostra em relação aos outros indicadores nutricionais. Unitermos: Avaliação Nutricional, Índice de Massa Corporal, Estado Nutricional.

IP048 - COMPARAÇÃO ENTRE O USO DO PERCENTIL E DO ESCORE Z NA AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS COM CARDIOPATIA CONGÊNITA

Instituição: Pronto Socorro Cardiológico Universitário de Pernambuco - Procape, Recife - PE
Autores: Silveira AC, Carneiro GMS, Pinho CPS.

Objetivos: Comparar o uso do escore-Z com o uso do percentil na avaliação nutricional de crianças com cardiopatia congênita admitidas em um hospital de referência em cardiologia em Pernambuco. Materiais e Métodos: Estudo transversal e retrospectivo, envolvendo crianças entre 0 a 24 meses portadoras de cardiopatia congênita, admitidas na fase pré-operatória entre outubro de 2007 a julho de 2009 no Pronto Socorro Cardiológico Universitário de Pernambuco. As variáveis de estudo foram: sexo, idade, peso, comprimento, tipo de cardiopatia, Estado de origem e a procedência. Para a avaliação do estado nutricional, utilizou-se os índices peso por idade e o índice de massa corporal (IMC), que foram comparados com o padrão de referência da Organização Mundial da Saúde,2006, determinados pelo escore Z e pelo percentil. A construção do banco de dados e a análise estatística foram realizadas no software estatístico SPSS, versão 13.0. O índice Kappa foi empregado para avaliar a concordância do diagnóstico nutricional estabelecido pelo percentil e escore Z. O estudo foi realizado após ser submetido e aprovado pelo Comitê de Ética do hospital, sob o parecer nº 083/2011. Resultados: A amostra foi composta por 107 crianças, com idade entre 0 e 24 meses, sendo que a maioria (75%) tinha menos de 12 meses de vida. Do total das crianças estudadas, 59(55,1%) eram do sexo masculino. Quanto ao tipo de cardiopatia, 58(54,2%) crianças foram diagnosticadas com cardiopatia cianótica. A maioria das crianças chegou ao Serviço procedente de suas residências 72 (67,2%) ou transferidas de outros hospitais, 23(21,4%). Mais de um terço da amostra (35,5%) era de outros Estados. Observou-se que a prevalência de déficit nutricional se mostrou maior quando utilizamos o percentil, mas no diagnóstico do déficit nutricional grave o escore-z foi 3,8% maior. Quanto à utilização do índice peso por idade, observou-se que maior prevalência de déficit nutricional pelo percentil e maior prevalência de déficit grave pelo escore-Z. O índice Kappa foi utilizado para a avaliação do grau de concordância do diagnóstico nutricional com o uso do percentil e do Z-escore. Sendo obtido um resultado de 0,9616(96,2%), indicando uma ótima concordância entre os métodos de análise das medidas antropométricas. Conclusão: O estudo permitiu concluir que há evidência de confiabilidade entre o uso do percentil e do escore-z, pois a diferença entre os dois métodos foi irrelevante, portanto na prática clínica ambas as formas de avaliação podem ser utilizadas, cabendo ao profissional a escolha do método. Unitermos: Criança, Cardiopatia Congênita, Avaliação Nutricional, Percentil, Escore Z.

IP049 - ACOMPANHAMENTO NUTRICIONAL A GRUPOS DE DOENTES CRÔNICOS, POR PERÍODO DE 12 MESES, EM UMA OPERADORA DE SAÚDE EM SETE LAGOAS - MG

Instituição: Unimed Sete Lagoas Cooperativa de Trabalho Médico, Sete Lagoas - MG
Autores: Souza RMFA, Silva MG, Souza TCM, Ramos RS, Rosa AAF, Teixeira DS.

Objetivos: Analisar a evolução de pacientes portadores de Hipertensão Arterial, Diabetes Mellitus, e/ou Obesidade, participantes de Grupos Operativos realizados no Núcleo de Atenção Integral à Saúde (NAIS - Unimed Sete Lagoas) e avaliar a eficácia do acompanhamento nutricional oferecido por meio de encontros semanais com duração de uma hora. Materiais e Métodos: O estudo possui característica observacional transversal exploratória, com abordagem quantitativa, e foi realizada com os integrantes dos Grupos Operativos de Nutrição, do Núcleo de Atenção Integral a Saúde (NAIS - Unimed Sete Lagoas). Os critérios de inclusão foram: ser portador de Diabetes Mellitus (DM), Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e/ou Obesidade (OB); e ter frequentado mais de 75% dos encontros semanais realizados no período de Agosto de 2011 a Julho de 2012. Desse modo, foram selecionados 122 pacientes, sendo todos (100%), portadores de HAS, 32 (26,2%) portadores de DM; 95 (77,9%) com circunferência da cintura elevada e 61 (50%) apresentando algum grau de obesidade, de acordo com o índice de Massa Corporal (IMC). Os participantes eram de ambos os gêneros, com idades entre 50 a 85 anos, dos quais foram avaliados dados de prontuário, obtidos através da aferição da Pressão Arterial, Glicemia Capilar, Peso, Estatura, IMC e Circunferência Abdominal (CA). Resultados: Percebeu-se que grande parte dos pacientes assíduos ao grupo de Nutrição alcançaram melhoras nos parâmetros avaliados, quando comparados com o início do estudo. Dos 122 pacientes avaliados, 32 (26,3%) indivíduos hipertensos apresentavam níveis pressóricos maiores que 140 X 90 mmHg e 16 portadores de DM (13,1%) apresentavam valores de glicemia capilar em jejum superior a 110 mg/dL, sendo que estes números foram reduzidos para 5 (4,0%) e 3 (2,4%) respectivamente ao final do estudo. Dentre os 118 (96,7%) que apresentavam CA elevada para o gênero, apenas 55 (45,0%) não reduziram esta medida. Quanto aos portadores de obesidade, 26 (21,3%) apresentaram OB grau I, 18 (14,7%) grau II e 17 (13,9%) grau III, ressaltando que foram utilizados valores de referências do IMC próprio para adultos e idosos. Grande parte dos obesos grau II e III tiveram uma perda de peso considerável (> 10%). Assim o número de obesos grau I elevou para 39, representando 31,9% da amostra do estudo, enquanto o número de obesos grau II e III reduziu para 10 (8,2%) e 06 (4,9%), respectivamente. Conclusão: Considera-se que intervenções nutricionais por meio da educação em saúde são de extrema importância para o controle das doenças crônicas não transmissíveis e prevenção de comorbidades. Desta maneira, pode-se afirmar que é possível melhorar a qualidade de vida dos portadores de DCNT, no entanto, as intervenções devem ir muito além de apenas promover conhecimentos nutricionais. Unitermos: Obesidade, Doenças Crônicas, Promoção da Saúde, Diabetes, Hipertensão Arterial, Educação em Saúde.

IP050 - PERFIL DE PACIENTES CARDIOPATAS E SUA RELAÇÃO COM A SÍNDROME METABÓLICA

Instituição: UFMS, Campo Grande - MS
Autores: Palacio BM, Leite APN, Faria EHS, Oliveira MCF, Cássia R, Freitas K.

Objetivos: Determinar o perfil dos pacientes cardiopatas relacionado com a SM. Materiais e Métodos: Foi realizado um estudo transversal retrospectivo, com levantamento de dados realizados em fichas de acompanhamento nutricional dos pacientes admitidos em Unidade Coronariana de um Hospital Universitário, nos meses de janeiro a março de 2013. As variáveis analisadas foram sexo, comorbidades, hábitos de vida, exames laboratoriais de glicemia, CT, HDL-C, LDL-C e TGL. Foram excluídas as fichas com dados incompletos. Resultados: Foram atendidos 68 pacientes, desses 92,6% foram incluídos no estudo, 44,4% do sexo feminino, 55,55% do sexo masculino. Os valores de glicemia encontrados acima do recomendado 42%. Os valores de CT acima do recomendado 46,4%. Nos dados de HDL-C, 33% encontravam-se com o valores fora da normalidade. Sobre os níveis de LDL-C, 25% estavam no padrão ótimo e 75% no limítrofe. Quanto aos TGL houve 80% em níveis desejáveis e 20% apresentavam alterados. Com relação às comorbidades associadas, 93,6% apresentavam hipertensão arterial, 33,3% diabetes, 44,4% dislipidemia, sendo que um mesmo paciente pode ter apresentado mais de uma comorbidade. Hábitos de vida 15,8% tabagistas, 90,4% sedentários e 4,7% etilistas. Pressão arterial sistólica e diastólica acima do recomendado 68,25%. Circunferência da cintura acima do ideal 57,1%. Conclusão: O elevado número de pacientes com distúrbios lipídicos associados à hipertensão arterial sistêmica, obesidade, sedentarismo e etilismo, fatores que se apresentaram elevados na população em estudo, pode constituir causa importante para o aumento das proporções da SM e DCV. Estes oferecem subsídios para a implantação de medidas de controle e tratamento dessas doenças crônicas e não-transmissíveis. Unitermos: Cardiopatias, Fatores de Risco Cardiovascular, Síndrome Metabólica.

IP051 - EFEITO DA SUPLEMENTAÇÃO DE BIOMASSA DE BANANA VERDE E KEFIR EM PACIENTES COM CONSTIPAÇÃO INTESTINAL ATENDIDOS NO AMBULATÓRIO DE NUTRIÇÃO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE JULIO MULLER - CUIABÁ - MT

Instituição: Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá - MT
Autores: Arruda ISC, Lopes BV, Junior, Pansonato R, Paschoal VCP.

Objetivos: O objetivo deste estudo foi investigar o efeito da suplementação da biomassa da banana verde e kefir em pacientes constipados. Materiais e Métodos: Foram randomizados 24 pacientes constipados para receber orientações nutricionais padrões (Grupo controle; N=10) ou acrescida de biomassa de banana verde e kefir (Grupo estudo; N=14), por um período de 2 meses. Os grupos foram semelhantes quanto idade e estado nutricional. Os pacientes foram orientados a consumir 40 g de biomassa e 200ml de kefiran, ambos divididos em duas etapas diárias. A constipação intestinal foi caracterizada pela presença de dois ou mais dos seguintes parâmetros: esforço ao evacuar, fezes endurecidas ou em cíbalos, sensação de evacuação incompleta, sensação de obstrução ou bloqueio anorretal e manobras manuais para facilitar a evacuação e/ou menos de 3 evacuações/semana. Foram submetidos à avaliação bioquímica e bioimpedância elétrica nos dia 0 e 60. Classificou-se o tipo de fezes segundo a Escala de Bristol. As variáveis: presença de gases, esforço evacuatório, pirose, distensão abdominal, tipo de fezes, intervalo de evacuações, foram avaliados a cada 15 dias. Resultados: Na amostra estudada, entre o dia 0 e 15, já houve melhora significativa, com assertiva de p<0,05, das seguintes variáveis: esforço para evacuar, frequência evacuatória, presença de gases e tipo de fezes. A partir daí, os resultados ficaram mantidos até o dia 60. A frequência média evacuatória de 63% dos pacientes no dia 0 era de 4 dias, sendo que 9,1% evacuavam a cada 8 dias. No final do estudo, 81,85% dos pacientes evacuavam diariamente. Na avaliação da composição corporal, observou-se diminuição significativa da gordura abdominal (p=0,02), ficando os demais parâmetros sem alteração significativa. As variáveis bioquímicas não apresentaram alterações ao longo do estudo. Conclusão: A suplementação com biomassa e Kefir melhoram a constipação intestinal e reduzem a gordura abdominal de pacientes constipados. Unitermos: Constipação, Biomassa, Kefir.