Home Busca Avançada Normas de Publicação Assinaturas Fale Conosco
Contact Us
 
 

 

CopyRight
Moreira Jr Editora
Proibida a reprodução sem autorização expressa


 
sêlo de qualidade
Like page on Facebook



Seu Hobby
Seu Hobby: Confira o talento dos colegas de trabalho
Revista Equilíbrio & Vida - Jul 12 N 2

Culinária com toque masculino

Dr. Antonio Monteiro, diretor médico do Hospital Memorial Fuad Chidid, no Rio de Janeiro, afirma que o prazer de cozinhar e a vontade de se especializar nesse hobby surgiram junto com o gosto de comer bem

O médico Antonio Carlos Teixeira Mendes Monteiro se formou em 1967, pela Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, e, desde o tempo acadêmico, exercia a especialidade de Cirurgia Geral. “Minha atuação na área era, basicamente, voltada para a Cirurgia do Aparelho Digestivo”, lembra Monteiro, salientando que depois quis desenvolver uma especialização fora do País. “Fui para a França, Paris, com o objetivo de me especializar em Cirurgia do Fígado e das Vias Biliares, no Serviço do Professor H. Bismuth, onde permaneci por dois anos”, diz. E, 20 anos depois, em 1993, Dr. Monteiro passou a administrar serviços de saúde e se dedicar, integralmente, à Gestão Hospitalar. “Sou diretor médico do Hospital Memorial Fuad Chidid, me dedico à manutenção da boa prática da medicina voltada aos pacientes do hospital e à busca constante da satisfação de nossos clientes”, resume. Mesmo com a carreira de médico, e o dia a dia bastante atribulado, Dr. Monteiro sempre se dedicou ao seu talento paralelo, relacionado à arte da culinária, que, segundo ele, surgiu pelo gosto de comer bem. “O prazer pela boa comida originou a curiosidade de saber como ela era feita e a busca dos detalhes. O prato delicioso que eu comia dava origem à tentativa de refazê-lo em casa e eu repetia a receita até acertá-la”, afirma. E, para adquirir mais técnica, Dr. Antonio Monteiro realizou muitos cursos de culinária com talentosos e renomados chefs, como Claude Troisgros, Pierre Troisgros, Danio Braga, José Hugo Celidônio, Laurent Suaudeau, entre outros. “Era um prazer participar desses cursos e conviver com os chefs, além de curtir a comida .”


Dr. Monteiro a bordo do Princess, no Caribe, em 2010, ao lado do chef do cruzeiro Antonio Constantino

Como, durante o dia, a dedicação está voltada para o hospital, fica impossível cozinhar de segunda a sexta. “Fiz isso muitas vezes, mas o jantar saia perto da meia-noite. Portanto, agora, cozinho nos fins de semana, quando posso fazê-lo com calma, o que me dá muito mais prazer”, afirma, salientando que os maiores apreciadores de seus pratos são os amigos e a família. “São eles que incentivam a minha ida à cozinha, e é com eles que compartilho minhas receitas favoritas.”

Os truques do ‘médico-chef’

De acordo com Dr. Antonio Monteiro, os segredos da preparação da boa culinária começam com a escolha e a compra dos ingredientes, que sempre devem ser de boa qualidade e selecionados. “A escolha do peixe é fundamental ao sucesso do prato. Secundariamente, o fator de sucesso passa pelo preparo dos caldos, sejam eles de carne, peixe ou aves. Os caldos são a base, onde está o sabor”, revela. E não foi apenas a especialização em Cirurgia do Aparelho Digestivo que o médico trouxe de Paris. Quando descreve seus pratos que fazem mais sucesso, nota-se que a maioria é derivada da culinária francesa. Dentre os mais pedidos, por familiares e amigos, estão o Vol-au-vent de Camarão (iguaria de origem francesa, feita com massa folhada em formato de cestinhas); Oeuf Concorde (ovos quentes com tiras de salmão defumado coberto com creme de ciboulette e caviar), Cassoulet (espécie de feijoada com feijão branco e confit de canard), Lombo de Cherne ao Vinho Tinto, Magret de Canard (peito de pato) e Foie Gras Poêlé com Figos Caramelizados (preparado com fígado gorduroso de pato ou ganso). Apesar de não dispensar ajuda na organização da cozinha, ele prefere preparar os seus pratos sozinho, para não se distrair. “Muita gente no espaço pode fazer com que se coloque sal duas vezes”, alerta. Dr. Monteiro recomenda seu hobby para outros médicos. “Com certeza é relaxante e me dá muito prazer, de preferência acompanhado de um bom vinho tinto. Para o dia estressante do médico, um pequeno momento na cozinha é uma distração, com a possibilidade de preparar pratos saborosos e simples. No dia a dia, o improviso na cozinha é gerador de um convívio prazeroso no seio da família, principalmente se a esposa curte a boa comida.”

Infelizmente, os leitores da Equilíbrio & Vida terão de ficar apenas imaginando os pratos do Dr. Monteiro, porque, para ele, passar receitas é uma tarefa que nunca deu certo. “O bom da culinária é a constante criação. As receitas que leio são sempre adaptadas. É o toque de cada chef que diferencia o prato. Os pequenos detalhes são importantes e não estão nas receitas.”